The Holy See
back up
Search
riga

PAPA BENTO XVI

ANGELUS

Domingo 13 de Novembro de 2005

 

Queridos irmãos e irmãs

Na manhã de hoje, na Basílica de São Pedro, foram proclamados beatos os servos de Deus Charles De Foucauld, presbítero, Maria Pia Mastena, fundadora das Irmãs da Sagrada Face, e Maria Crucifixa Curcio, fundadora da Congregação das Irmãs Carmelitas Missionárias de Santa Teresa do Menino Jesus. Eles vão unir-se à numerosa plêiade de beatos que, durante o Pontificado de João Paulo II, foram propostos à veneração das Comunidades eclesiais em que viveram, na consciência daquilo que o Concílio Vaticano II sublinhou fortemente, ou seja, que todos os baptizados são chamados à perfeição da vida cristã: sacerdotes, religiosos e leigos, cada qual segundo o seu carisma e a sua vocação específica.

Com efeito, o Concílio prestou grande atenção ao papel dos fiéis leigos, dedicando-lhes um capítulo inteiro o quarto da Constituição Lumen gentium sobre a Igreja, para definir a sua vocação e missão, arraigadas no Baptismo e na Crisma e destinadas a "procurar o Reino de Deus, tratando das realidades temporais e ordenando-as segundo Deus" (n. 31). No dia 18 de Novembro de 1965, os Padres aprovaram um Decreto específico sobre o apostolado dos leigos, Apostolicam actuositatem. Ele ressalta sobretudo o facto de que "a fecundidade do apostolado dos leigos depende da sua união vital com Cristo" (n. 4), ou seja, de uma espiritualidade sólida, alimentada pela participação activa na Liturgia e expressa no estilo das bem-aventuranças evangélicas. Além disso, para os leigos são de grande importância a competência profissional, o sentido da família, o sentido cívico e as virtudes sociais. Se é verdade que eles são chamados de modo individual a prestar o seu testemunho pessoal, particularmente precioso onde a liberdade da Igreja encontra impedimentos, todavia o Concílio insiste sobre a importância do apostolado organizado, necessário para incidir sobre a mentalidade geral, sobre as condições sociais e sobre as instituições (cf. ibid., 18). A este propósito, os Padres encorajaram as múltiplas associações de leigos, insistindo também sobre a sua formação no apostolado. Ao tema da vocação e da missão dos leigos, o amado Papa João Paulo II quis dedicar a Assembleia sinodal de 1987, após a qual foi publicada a Exortação Apostólica Christifideles laici.

Concluindo, gostaria de recordar que no domingo passado, na Catedral de Vicência, foi beatificada uma mãe de família, Eurósia Fabris, chamada "Mamma Rosa", modelo de vida cristã no estado laical. A todos aqueles que já estão na pátria celeste, a todos os nossos santos e em primeiro lugar a Maria Santíssima e ao seu esposo José, confio todo o povo de Deus, para que em cada baptizado aumente a consciência de ser chamado a trabalhar com compromisso e fruto na vinha do Senhor.
 

© Copyright 2005 - Libreria Editrice Vaticana

top