The Holy See
back up
Search
riga
PAPA BENTO XVI

ANGELUS

Domingo, 4 de Novembro de 2007

Queridos irmãos e irmãs!

Hoje a liturgia apresenta à nossa meditação o conhecido episódio evangélico do encontro de Jesus com Zaqueu na cidade de Jericó. Quem era Zaqueu? Um homem rico que desempenhava a profissão de "publicano", isto é, de cobrador de impostos por ordem da autoridade romana, e precisamente por isso era considerado pecador público. Tendo sabido que Jesus passava por Jericó, aquele homem foi tomado por um grande desejo de o ver, mas, sendo de estatura baixa, subiu a uma árvore. Jesus parou precisamente debaixo daquela árvore e dirigiu-se a ele chamando-o pelo nome: "Zaqueu, desce depressa, pois tenho de ficar em tua casa" (Lc 19, 5). Que mensagem nesta frase simples! "Zaqueu": Jesus chama pelo nome um homem desprezado por todos. "Hoje": sim, precisamente agora é para ele o momento da salvação. "Tenho de ficar": por que "Tenho"? Porque o Pai, rico em misericórdia, quer que Jesus vá "procurar e salvar quem estava perdido" (Lc 19, 10). A graça daquele encontro imprevisto foi tal que mudou completamente a vida de Zaqueu: "Senhor confessou a Jesus vou dar metade dos meus bens aos pobres e, se defraudei alguém em qualquer coisa, devolver-lhe-ei quatro vezes mais" (Lc 19, 8). Mais uma vez o Evangelho nos diz que o amor, partindo do coração de Deus e agindo através do coração do homem, é a força que renova o mundo.

Esta verdade resplandece de modo singular no testemunho do Santo do qual hoje se celebra a memória: Carlos Borromeu, Arcebispo de Milão. A sua figura sobressai no século XVI como modelo de Pastor exemplar pela caridade, doutrina, zelo apostólico e sobretudo pela oração: "as almas dizia ele conquistam-se de joelhos". Consagrado Bispo com apenas 25 anos, pôs em prática quanto o Concílio de Trento ditou, o qual impunha que os Pastores residissem nas respectivas Dioceses, e dedicou-se totalmente à Igreja ambrosiana: visitou-a em todas as suas partes por três vezes; proclamou seis sínodos provinciais e onze diocesanos; fundou seminários para formar uma nova geração de sacerdotes; construiu hospitais e destinou as riquezas de família ao serviço dos pobres; defendeu os direitos da Igreja contra os poderosos; renovou a vida religiosa e instituiu uma nova Congregação de sacerdotes seculares, os Oblatos. Em 1576, quando alastrou a peste, visitou, confortou e gastou para os doentes todos os seus bens. O seu mote consistia numa só palavra: "Humilitas". A humildade estimulou-o, como o Senhor Jesus, a renunciar a si mesmo para se fazer servo de todos.

Recordando o meu venerado predecessor João Paulo II, que devotamente tinha o seu nome hoje é o seu onomástico confiamos à intercessão de São Carlos todos os Bispos do mundo, pelos quais invocamos como sempre a celeste protecção de Maria Santíssima, Mãe da Igreja.

* * *

Depois do Angelus

As notícias destes últimos dias relativas aos acontecimentos na região de fronteira entre a Turquia e o Iraque são fonte, para mim e para todos, de preocupação. Portanto, desejo encorajar todos os esforços para a consecução de uma solução pacífica dos problemas que surgiram recentemente entre a Turquia e o Curdistão iraquiano.

Não posso esquecer que naquela região numerosas populações encontraram refúgio para evitar a insegurança e o terrorismo que tornaram difícil a vida no Iraque nestes anos. Precisamente considerando o bem daquelas populações, que incluem também numerosos cristãos, desejo fortemente que todas as partes se comprometam para favorecer soluções de paz.

Além disso, faço votos para que as relações entre populações migrantes e populações locais aconteçam no espírito daquela alta civilização moral que é fruto dos valores espirituais e culturais de cada povo e País. Quem tem a tarefa da segurança e do acolhimento saiba fazer uso dos meios adequados para garantir os direitos e os deveres que estão na base de qualquer convivência verdadeira e encontro entre os povos.

 

© Copyright 2007 - Libreria Editrice Vaticana

top