The Holy See
back up
Search
riga

 CARTA APOSTÓLICA
SOB FORMA DE MOTU PROPRIO

TOTIUS ORBIS

DO SUMO PONTÍFICE BENTO XVI
COM AS NOVAS DISPOSIÇÕES
PARA AS BASÍLICAS DE SÃO FRANCISCO
E DE SANTA MARIA DOS ANJOS EM ASSIS

:

Do mundo inteiro, com especial consideração, olha-se para a Basílica de São Francisco em Assis, que conserva e guarda os restos mortais do Seráfico Santo, e para a Basílica de Santa Maria dos Anjos, que traz em si a insigne igrejinha da Porciúncula: a primeira está confiada à Ordem dos Frades Menores Franciscanos Conventuais e a segunda à Ordem Franciscana dos Frades Menores.

Os Romanos Pontífices, por sua vez, mantiveram sempre vínculos singulares e solicitude particular para com estes dois Templos Maiores franciscanos propter eorum praestantiam atque dignitatem e até agora os quiseram sujeitos directamente à sua jurisdição. Durante os séculos os Frades Conventuais e os Frades Menores, com a sua obra solícita e o seu testemunho, mantiveram vivos o espírito e o carisma de São Francisco, difundindo no mundo inteiro a sua mensagem evangélica de paz, fraternidade e bem.

Considerada a exigência de alcançar um entendimento mais eficaz entre as actividades que realizam quer na Basílica de São Francisco (com o anexo Sacro Convento) quer na Basílica de Santa Maria dos Anjos (e Convento adjacente) e a pastoral da Diocese de Assis-Nocera Umbra-Gualdo Tadino, e ainda com a pastoral promovida a níveis regional e nacional pelas respectivas Conferências episcopais, pareceu-nos útil modificar a actual disciplina jurídica, como foi regulada pelo nosso venerado Predecessor, Papa Paulo VI, de veneranda memória, o Motu Proprio "Inclita toto", de 8 de Agosto de 1969, por quanto diz respeito à Basílica de São Francisco (com o anexo Sacro Convento), e mediante a Decisão ex Audientia, de 12 de Maio de 1966, no que se refere à Basílica de Santa Maria dos Anjos (e Convento adjacente), adaptando as normas às necessidades de hoje.

Portanto, dispomos e estabelecemos quanto segue:

I. À Basílica de São Francisco e ao anexo Convento Sacro, como também à Basílica de Santa Maria dos Anjos, designamos como Nosso Legado um Cardeal da S.I.R., o qual, embora não gozando de jurisdição, terá a tarefa de perpetuar com a sua autoridade moral os estreitos vínculos de comunhão entre os lugares sagrados à memória do Pobrezinho e esta Sé Apostólica. Ele poderá conceder a Bênção Papal nas celebrações que presidirá por ocasião das maiores solenidades litúrgicas.

II. Doravante o Bispo de Assis-Nocera Umbra-Gualdo Tadino terá a jurisdição prevista pelo Direito sobre as igrejas e casas religiosas relativas a todas as actividades pastorais realizadas pelos Frades Conventuais da Basílica de São Francisco e pelos Frades Menores de Santa Maria dos Anjos.

III. Os Frades Franciscanos, Conventuais e Menores, para todas as iniciativas que têm aspectos pastorais, por conseguinte deverão pedir e obter o consentimento do Bispo de Assis-Nocera Umbra-Gualdo Tadino, que ouvirá o parecer do Presidente da Conferência Episcopal Umbra para as iniciativas que têm reflexos sobre a Região umbra ou da Presidência da Conferência Episcopal Italiana para aquelas de maior alcance.

IV. Quanto à celebração dos sacramentos nas Basílicas acima citadas valem as normas do Código de Direito Canónico e as vigentes na Diocese de Assis-Nocera Umbra-Gualdo Tadino.

Exorto, portanto, os Filhos de São Francisco, a quem estão confiadas as duas mencionadas Basílicas, a seguir com generosa disponibilidade as normas expostas neste Motu proprio em espírito de comunhão sincera com o Bispo de Assis-Nocera Umbra-Gualdo Tadino e, por intermédio dele, com a Conferência Episcopal regional e com a nacional.
Não obstante qualquer coisa em contrário.

Dado em Roma, junto de São Pedro a 9 de Novembro de 2005, aniversário da Dedicação da Basílica Lateranense, primeiro ano do Nosso Pontificado.

BENEDICTO PP. XVI

 

© Copyright 2005 - Libreria Editrice Vaticana

top