The Holy See
back up
Search
riga

CARTA DO PAPA BENTO XVI
AO CARDEAL FIORENZO ANGELINI
POR OCASIÃO DO 50º ANIVERSÁRIO
DA ORDENAÇÃO EPISCOPAL

 

Ao Venerado Irmão Senhor
Cardeal FIORENZO ANGELINI

No dia 29 do corrente mês de Julho, o Senhor Cardeal há-de celebrar o 50º aniversário da sua Ordenação episcopal, ocorrida na igreja de Santo Inácio em Roma, cidade que o viu nascer no dia 1 de Agosto de 1916. Isto significa que, três dias mais tarde, celebrará também o 90º aniversário de nascimento. Nesta feliz circunstância, sinto-me muito contente por lhe transmitir a expressão das minhas mais cordiais felicitações e por lhe formular os mais ardentes bons votos, assegurando-lhe uma especial lembrança na oração e unindo-me à sua acção de graças ao Senhor pelos numerosos dons com que Ele desejou enriquecer a sua vida e o seu ministério, para a edificação da Igreja em Roma, na Itália e no mundo. Neste contexto de louvor reconhecido é-me grato recordar, pelo menos resumidamente, quanto a Providência Divina lhe concedeu realizar nestes cinquenta anos.

Quando o Santo Padre Pio XII, de venerada memória, o elegeu Bispo Titular de Messene, Vossa Eminência já desempenhava, havia mais de dez anos, o encargo de Assistente Eclesiástico Central da União dos Homens da Acção Católica e, havia ainda poucos meses, a função de Delegado para os hospitais e os lugares de cura da Diocese de Roma. A dignidade episcopal acrescentou um ulterior vigor ao zelo que já o distinguia e do qual são testemunhos, de maneira acentuada, a construção da igreja de São Leão Magno no Prenestino e a realização do Centro "Pio XII para um Mundo Melhor", na Via dei Laghi. A partir da sua Ordenação episcopal, o Senhor Cardeal dedicou-se completamente à pastoral no campo da saúde, tornando possível a sua organização a nível diocesano e com reflexos positivos tanto naItáliacomo também no estrangeiro.

O Beato João XXIII nomeou-o Assistente Eclesiástico Nacional dos Médicos Católicos Italianos, Associação que Vossa Eminência animou e que se tornou deveras florescente, a ponto de poder ser promotora da Federação Internacional das Associações dos Médicos Católicos.

Sucessivamente, a esta acção formativa no sector dos Médicos foram acrescentados a obra em favor da pastoral dos Capelães hospitalares e, em seguida, o compromisso em benefício da investigação científica no campo médico, tendo sempre como finalidade central a promoção e a salvaguarda da pessoa humana.

Também com o amado Papa João Paulo II, o Senhor Cardeal trabalhou em perfeita sintonia de intenções, comprometendo-se numa colaboração que desabrochou na instituição do Pontifício Conselho para a Pastoral no Campo da Saúde, cuja Presidência lhe foi confiada pelo mesmo Pontífice. Sob a sua orientação, este Dicastério soube promover nas Igrejas particulares espalhadas pelo mundo aquela atenção privilegiada aos doentes que, à luz dos ensinamentos evangélicos, o cristão não pode deixar de compartilhar. É neste contexto que Vossa Eminência fomentou inclusive no Vaticano uma série de Conferências internacionais anuais, subordinadas a temas de grande relevância no campo da saúde; além disso, preocupou-se também em publicar o primeiro recenseamento das Instituições médicas católicas no mundo, bem como em elaborar e publicar a primeira "Carta dos Agentes da Saúde". Além disso, durante a sua Presidência foi instituído o Dia Mundial do Doente e projectada a Pontifícia Academia para a Vida.

A firme convicção de que a defesa da vida e a atenção pastoral ao sofrimento humano ultrapassam as barreiras ideológicas estimulou-o outrossim, venerado Irmão, a realizar visitas e a participar em congressos em várias Nações, nas mais diversificadas e difíceis situações políticas, para transmitir em toda a parte o anúncio dos valores humanos e cristãos fundamentais, e a convidar todos a unirem os próprios esforços em ordem ao serviço da pessoa que sofre. Reconhecendo um compromisso tão generoso num sector de importância essencial como este, o Papa João Paulo II criou-o Cardeal no Consistório de 28 de Junho de 1991.

Confortado por este novo sinal de benevolência pontifícia, nos anos mais recentes, em continuidade ideal com uma vida despendida ao serviço do homem, especialmente do homem que sofre, o Senhor Cardeal fundou o Instituto Internacional de Investigação sobre o Rosto de Cristo, em colaboração com a Congregação Beneditina das Irmãs Reparadoras da Sagrada Face de Nosso Senhor Jesus Cristo, promovendo a celebração anual de Congressos internacionais, que no corrente ano já chegaram à sua décima edição. Graças à mencionada Congregação religiosa, em conformidade com o desejo formalmente expresso pelo Fundador, o Servo de Deus Abade Hildebrando Gregori, ainda hoje encontra expressão a solicitude pastoral de Vossa Eminência, mediante novas iniciativas premiadas com preciosas vocações à vida consagrada, e através de obras de assistência sociomédica e escolar na Polónia, na Roménia, na Índia e na República Democrática do Congo.

Narrar as obras de Deus significa louvá-lo. Senhor Cardeal, foi por este motivo que desejei recordar o intenso trabalho que Vossa Eminência desempenhou e ainda hoje leva a cabo na vinha do Senhor, para dar graças a Ele e, ao mesmo tempo, para reconhecer o mérito de quem soube tornar-se instrumento dócil, sábio e zeloso da sua iniciativa divina. Estou consciente de que interpreto fielmente as intenções do seu coração, venerado Irmão, transmitindo todas as expressões de gratidão à Virgem Santíssima, que o Senhor Cardeal sempre reconheceu como inspiradora e sustentáculo do seu ministério desde os anos do Seminário Romano, onde aprendeu a dirigir-se-lhe com esta bonita invocação: "Mater mea, fiducia mea". A intercessão da Virgem continue a beneficiá-lo com dádivas celestiais, em penhor das quais concedo-lhe com carinho uma especial Bênção Apostólica, que de bom grado faço extensiva às Irmãs Reparadoras da Sagrada Face de Nosso Senhor Jesus Cristo e a todas as pessoas que lhe são queridas.

Vaticano, 6 de Julho de 2006.

© Copyright 2006 - Libreria Editrice Vaticana

top