The Holy See
back up
Search
riga
DISCURSO DO PAPA BENTO XVI
AOS PRELADOS DA CONFERÊNCIA EPISCOPAL DO JAPÃO
POR OCASIÃO DA VISITA "AD LIMINA APOSTOLORUM"

Sábado, 15 de Dezembro de 2007

Queridos Irmãos Bispos

Estou feliz por vos dar as boas-vindas na circunstância da vossa visita ad Limina, no momento em que vindes aqui para venerar os túmulos dos Apóstolos Pedro e Paulo. Agradeço-vos as amáveis palavras que o Arcebispo D. Takeo Okada me dirigiu em vosso nome, enquanto vos transmito os meus mais calorosos bons votos e orações por vós e por todas as pessoas confiadas aos vossos cuidados pastorais. Viestes à cidade onde Pedro cumpriu a sua missão de evangelização e deu testemunho de Cristo até à efusão do seu próprio sangue viestes para cumprimentar o Sucessor de Pedro. Deste modo, fortaleceis os fundamentos apostólicos da Igreja no vosso país e expressais visivelmente a vossa comunhão com todos os demais membros do Colégio episcopal e com o próprio Pontífice romano (cf. Pastores gregis, 8). Desejo aproveitar esta oportunidade para reiterar os meus pêsames pelo recente falecimento do Cardeal Stephen Hamao, Presidente Emérito do Pontifício Conselho para a Pastoral dos Migrantes e Itinerantes, e também para manifestar o meu apreço pelos seus anos de serviço à Igreja. Mediante a sua própria pessoa, ele deu testemunho dos vínculos de comunhão entre a Igreja que está no Japão e a Santa Sé. Que ele descanse em paz.

No ano passado, a Igreja celebrou com grande alegria o 500º aniversário do nascimento de São Francisco Xavier, Apóstolo do Japão. Uno-me a vós, ao dar graças a Deus pela obra missionária que ele levou a cabo na vossa terra, e pelas sementes da fé cristã que semeou no período da primeira evangelização do Japão. A necessidade de proclamar Cristo corajosamente constitui uma prioridade permanente para a Igreja; com efeito, trata-se de um solene dever que lhe foi confiado por Cristo, que se uniu aos Apóstolos para "ir pelo mundo inteiro e proclamar o Evangelho a toda a criatura" (Mc 16, 15). Hoje em dia, a vossa tarefa consiste em buscar novas formas de reavivar a mensagem de Cristo no contexto cultural do Japão moderno. Embora os cristãos sejam apenas uma exígua percentagem da população, a fé representa um tesouro que tem necessidade de ser compartilhado com toda a sociedade japonesa. A vossa liderança neste campo deve inspirar os membros do clero, os religiosos, as religiosas, os catequistas, os professores e as famílias, a responder acerca da esperança que os anima (cf. 1 Pd 3, 15). Por sua vez, isto exige uma catequese sólida, fundamentada nos ensinamentos do Catecismo da Igreja Católica e do Compêndio. Permiti que a luz da fé resplandeça diante dos outros, de tal maneira que, "vendo as vossas obras, eles glorifiquem o vosso Pai, que está no Céu" (Mt5, 16).

Efectivamente, o mundo tem fome da mensagem de esperança que o Evangelho anuncia. Mesmo em países altamente desenvolvidos como o vosso, numerosas pessoas estão a descobrir que o sucesso económico e a tecnologia avançada não são suficientes por si mesmos para saciar o coração humano. Quem não conhece Deus, "em última análise está sem esperança, sem a grande esperança que sustenta toda a vida" (Spe salvi, 27). Lembrai às pessoas que na vida existe mais do que o bom êxito profissional e o lucro. Através da prática da caridade, no seio da família e na comunidade, elas podem ser orientadas para "aquele encontro com Deus em Cristo que nelas suscita o amor e abre o seu íntimo ao outro" (Deus caritas est, 31a). Esta é a grande esperança que os cristãos no Japão podem oferecer aos seus compatriotas; ela não é alheia à cultura japonesa mas, ao contrário, revigora e dá um renovado impulso a tudo aquilo que é bom e nobre na herança do vosso amado país. O merecido respeito que os cidadãos do vosso país manifestam à Igreja, em virtude da sua requintada contribuição nos campos da educação e da assistência médica, bem como em muitos outros sectores, oferece-vos a oportunidade para entrar em diálogo com eles e para lhes falar jubilosamente de Cristo, a "luz que a todo o homem ilumina" (Jo 1, 9).

Especialmente os jovens correm o perigo de ser decepcionados pela fascinação da cultura secular moderna. No entanto, do mesmo modo como todas as esperanças maiores e menores à primeira vista dão a impressão de prometer muito (cf. Spe salvi, 30), também esta por sua vez é uma esperança falsa, que tragicamente muitas vezes, a desilusão leva à depressão e ao desespero, e até ao suicídio. Se as suas energias e o seu entusiasmo juvenis puderem ser orientados para as realidades divinas, as únicas que são suficientes para satisfazer as suas aspirações mais intensas, mais jovens poderão sentir-se inspirados a comprometer a própria vida em prol de Cristo, e alguns chegarão a reconhecer a vocação para a o servir no sacerdócio ou na vida religiosa. Exortai-os a considerar se esta é a sua vocação. Nunca tenhais medo de o fazer. Animai os vossos sacerdotes e, de igual modo, os religiosos a serem activos na promoção das vocações, e orientai o vosso povo na oração, pedindo ao Senhor que "envie trabalhadores para a sua messe" (Mt 9,38).

A messe do Senhor no Japão é formada cada vez mais de pessoas de diferentes nacionalidades, a tal ponto que metade da população católica é composta por imigrantes. Isto oferece a oportunidade para enriquecer a vida da Igreja no vosso país e para experimentar a verdadeira catolicidade do povo de Deus. Tomando iniciativas em vista de assegurar que todos se sintam bem-vindos na Igreja, podeis beneficiar das numerosas dádivas oferecidas pelos imigrantes. Ao mesmo tempo, tendes necessidade de permanecer vigilantes para garantir que as normas litúrgicas e disciplinares da Igreja universal sejam respeitadas com a devida atenção. O Japão moderno desejou comprometer-se generosamente em muitas partes do mundo, e a Igreja católica com a sua solicitude universal pode oferecer uma contribuição valiosa para este processo de abertura cada vez maior à comunidade internacional.

Inclusivamente outras nações podem aprender do Japão, da sabedoria acumulada da sua antiga cultura, e de maneira especial do testemunho da paz que tem caracterizado a sua posição no cenário político mundial nos últimos sessenta anos. Fizestes com que a voz da Igreja pudesse ser ouvida a respeito da importância duradoura deste testemunho, que é ainda maior num mundo em que os conflitos armados causam tanto sofrimento a pessoas inocentes. Animo-vos a continuar a discorrer acerca de questões de interesse público relativas à vida da vossa nação, de forma que elas possam ser ouvidas a todos os níveis no seio da sociedade. Desta maneira, a mensagem de esperança que o Evangelho transmite pode verdadeiramente sensibilizar os corações e as mentes, levando a ter maior confiança no futuro, a um amor e respeito pela vida mais profundos, aumentando a abertura em relação aos estrangeiros e a quantos se encontram no meio de vós. "Quem tem esperança, vive diversamente; quem tem esperança, recebeu uma vida nova" (Spe salvi, 2).

A este propósito, a próxima Beatificação de 188 mártires japoneses oferece um preclaro sinal de fortaleza e de vitalidade do testemunho cristão na história do vosso país. Desde os primórdios, os japoneses e as japonesas estavam prontos para derramar o seu próprio sangue por Cristo. Através da esperança destas pessoas, que foram "tocadas por Cristo, brotou a esperança para outros que viviam na escuridão e sem esperança" (Spe salvi, 8). Uno-me a vós dando graças a Deus pelo testemunho eloquente de Pedro Kibe e Companheiros, que "lavaram as suas túnicas, branqueando-as no sangue do Cordeiro" (Ap 7, 14 s.), e agora servem a Deus dia e noite no seu santuário.

Neste período de Advento, a Igreja inteira aguarda ansiosamente a celebração do nascimento do nosso Salvador. Rezo a fim de que este tempo de preparação possa constituir para vós, assim como para toda a Igreja que está no Japão, uma oportunidade para crescer na fé, na esperança e no amor, de tal maneira que o Príncipe da Paz possa verdadeiramente encontrar uma morada nos vossos corações. Enquanto confio todos vós e os vossos sacerdotes, religiosos, religiosas e fiéis leigos à intercessão de São Francisco Xavier e dos mártires do Japão, concedo-vos cordialmente a Bênção apostólica como penhor de júbilo e de paz no Senhor.

© Copyright 2007 - Libreria Editrice Vaticana

top