The Holy See
back up
Search
riga

CONCERTO OFERECIDO PELO PRESIDENTE
DA REPÚBLICA ITALIANA GIORGIO NAPOLITANO
EM HONRA DE SUA SANTIDADE BENTO XVI
POR OCASIÃO DO TERCEIRO ANIVERSÁRIO DE PONTIFICADO

DISCURSO DO PAPA BENTO XVI

Sala Paulo VI
Quinta-feira, 24 de Abril de 2008

 

Senhor Presidente
Senhores Cardeais
Venerados Irmãos no Episcopado
e no Sacerdócio
Gentis Senhores e Senhoras!

No final deste maravilhoso concerto, sinto-me feliz por dirigir uma saudação cordial a todos vós, que nele participastes: Autoridades civis e militares, ilustres Personalidades e amigos que viestes partilhar este momento de elevado valor cultural. Desejo sobretudo manifestar o meu vivo reconhecimento ao Presidente da República Italiana, Excelentíssimo Senhor Giorgio Napolitano, que por ocasião do terceiro aniversário do meu Pontificado me quis oferecer este dom, acompanhando-o com expressões de requintada gentileza que muito apreciei. Obrigado, Senhor Presidente, por este acto deferente e carinhoso, que aceitei com profundo agrado! Nele vejo também um ulterior sinal do grande afecto que o povo italiano sente em relação ao Papa. Faço a minha saudação extensiva à sua gentil Esposa e aos seus colaboradores.

Na certeza de interpretar os sentimentos de todos os presentes, faço um sincero aplauso à Orquestra Sinfónica e ao Coro Sinfónico "Giuseppe Verdi" de Milão que, validamente guiados pelo Director, Sr. Oleg Caetani, tocaram e cantaram com extraordinário talento e eficácia. Faço a minha gratidão extensiva também ao maestro do Coro, Senhora Erina Gambarini. Expresso um cordial pensamento de gratidão aos dirigentes da benemérita Fundação "Giuseppe Verdi", encorajando-os a prosseguir no prestigioso percurso artístico e cultural empreendido, que sei que é enriquecido também com o empenho de fazer com que a música alivie situações de dificuldade humana, como se verificam por exemplo em hospitais e prisões. O meu reconhecimento dirige-se naturalmente a todos os que contribuíram para a organização e realização deste sugestivo acontecimento, apoiando-o de diversas formas.

Tivemos a alegria de ouvir com atenta participação empenhativos trechos concertistas de Luciano Berio, Johannes Brahms e Ludwig van Beethoven. Apraz-me ressaltar como a música de Brahms tenha enriquecido de confiança religiosa o "Canto do destino" de Hölderlin. Este facto introduz na consideração do valor espiritual da arte musical, chamada, de modo singular, a infundir esperança no coração humano, tão marcado e por vezes ferido pela condição terrena. Há um profundo parentesco entre música e esperança, entre canto e vida eterna: não é ocasional que a tradição cristã represente os espíritos bem-aventurados no gesto de cantar em coro, arrebatados e extasiados pela beleza de Deus. Mas a arte autêntica, como a oração, não nos alheia da realidade de cada dia, mas remete-nos para ela a fim de a "irrigar" e fazer germinar, para que dê frutos de bem e de paz.

As interpretações magistrais que ouvimos recordam-nos ainda o valor e a importância universal do património artístico: penso sobretudo nas jovens gerações, que da aproximação a tal património podem tirar sempre novas inspirações para construir o mundo segundo projectos de justiça e de solidariedade, valorizando, ao serviço do homem, as multiformes expressões da cultura mundial. Penso também na importância que a educação na beleza autêntica assume para a educação dos jovens. A arte no seu conjunto contribui para aperfeiçoar o seu ânimo e orienta para a edificação de uma sociedade aberta aos ideais do espírito. A Itália, com o seu excepcional património artístico, pode desempenhar, a este propósito, um papel importante no mundo: a quantidade e a qualidade dos monumentos e das obras de arte que possui fazem com que ela seja de facto "mensageira" universal de todos aqueles valores que a arte expressa e ao mesmo tempo promove. O carácter festivo do canto e da música são também um convite constante para os crentes e para os homens de boa vontade a comprometer-se para dar à humanidade um futuro rico de esperança.
Senhor Presidente da República, mais uma vez obrigado pelo maravilhoso dom que me quis oferecer e pelos sentimentos que o acompanharam. Retribuo garantindo-lhe uma recordação na oração para que o Senhor proteja a sua Pessoa, a sua gentil Esposa, as Autoridades e todo o povo da Itália. Com estes votos, que confio à intercessão de Nossa Senhora do Bom Conselho, invoco a bênção de Deus sobre todos os presentes e respectivas famílias. Obrigado e boa noite a todos!

© Copyright 2008 - Libreria Editrice Vaticana

top