The Holy See
back up
Search
riga
DISCURSO DO PAPA BENTO XVI
AO NOVO PATRIARCA DE ANTIOQUIA DOS SÍRIOS,
IGNACE YOUSSIF III YOUNAN

 Sexta-feira, 23 de Janeiro de 2009

 

Eminência
Beatitudes
Queridos Irmãos no Episcopado!

É com alegria que vos recebo e dou a cada um de vós as calorosas boas-vindas, dando graças a Nosso Senhor Jesus Cristo no final do Sínodo da Igreja de Antioquia dos Sírios que elegeu o seu novo Patriarca.

A minha saudação fraterna dirige-se antes de tudo ao Patriarca Ignace Youssif III Younan, que acaba de ser eleito, invocando sobre ele a abundância das bênçãos divinas. Que o Senhor conceda a Vossa Beatitude "a graça do apostolado" para poder servir a Igreja e glorificar o Seu Santo Nome no mundo.

Saúdo Sua Eminência o Senhor Cardeal Leonardo Sandri, Prefeito da Congregação para as Igrejas Orientais, ao qual confiei a presidência do vosso Sínodo, agradecendo-lhe sentidamente.

Saúdo de igual modo Sua Beatitude, o Cardeal Ignace Moussa Daoud, Prefeito Emérito da Congregação para as Igrejas Orientais, e Sua Beatitude Ignace Pierre Abdel Ahad, Patriarca Emérito, assim como todos vós, que viestes a Roma para realizar o acto mais eminente da responsabilidade sinodal.

Desde as origens do cristianismo, os Apóstolos Pedro e Paulo estavam intimamente ligados a Antioquia, onde pela primeira vez os discípulos de Jesus receberam o nome de cristãos (cf. Act 11, 26). Não podemos esquecer os vossos ilustres Pais na fé. Em primeiro lugar Santo Inácio, Bispo de Antioquia, do qual, por tradição, os Patriarcas sírio-antioquenos tomam o nome no momento em que aceitam o cargo patriarcal; e Santo Efrém, comummente chamado o Sírio, cuja luz espiritual continua a iluminar vivamente a Igreja universal. Com eles, outros grandes santos, filhos e pastores da vossa Igreja, ilustraram admiravelmente o mistério da salvação várias vezes, mediante a eloquência sublime do martírio.

Desta herança, o novo Patriarca é o primeiro guarda; contudo, cada um deverá, como irmão e membro do Sínodo, contribuir ele também para esta tarefa num espírito de autêntica colegialidade episcopal. Confio ao novo Patriarca e ao Episcopado sírio-católico, primeiro e antes de tudo, a tarefa da unidade entre os pastores e no seio das comunidades eclesiais.

Beatitude!

Nesta feliz circunstância, pedistes, em conformidade com os cânones sagrados, a ecclesiastica communio, que vos concedi de bom grado, cumprindo um aspecto do serviço petrino que me é particularmente querido. A comunhão com o Bispo de Roma, sucessor do bem-aventurado Apóstolo Pedro, estabelecido pelo Senhor como fundamento visível da unidade na fé e na caridade, é a garantia do vínculo com Cristo Pastor e insere as Igrejas particulares no mistério da Igreja una, santa, católica e apostólica.

Vossa Beatitude nasceu e cresceu na Síria e conhece bem o Médio Oriente, berço da Igreja Sírio-Católica. Contudo, desempenhastes o vosso serviço episcopal na América como primeiro Bispo da Eparquia "Our Lady of Deliverance in Newark" para os fiéis sírios residentes nos Estados Unidos e no Canadá, assumindo assim o cargo de Visitador apostólico na América Central. A diáspora oriental contribuiu portanto para oferecer à Igreja síria o seu novo Patriarca. Assim, os vínculos tornar-se-ão ainda mais estreitos com a Mãe-pátria, que tantos orientais tiveram que deixar para procurar melhores condições de vida. O meu desejo é que no Oriente, de onde veio o anúncio do Evangelho, as comunidades cristãs continuem a viver e a testemunhar a sua fé, como fizeram no decorrer dos séculos, desejando ao mesmo tempo que sejam dispensadas as curas pastorais adequadas a quantos se estabeleceram noutras partes, a fim de que possam permanecer ligados de modo frutuoso com as suas raízes religiosas. Peço a ajuda do Senhor para cada comunidade oriental a fim de que, onde quer que ela se encontre, saiba integrar-se no seu novo contexto social e eclesial, sem perder a sua identidade própria e levando as características da espiritualidade oriental, de modo que utilizando "as palavras do Oriente e do Ocidente" a Igreja fale eficazmente de Cristo ao homem contemporâneo. Deste modo, os cristãos enfrentarão os desafios mais urgentes da humanidade, construirão a paz e a solidariedade universais e testemunharão a "grande esperança" da qual são os portadores incansáveis.

Formulo votos fervorosos e jubilosos para Vossa Beatitude e para a Igreja Sírio-Católica.

Peço ao Príncipe da Paz que o ampare como "Caput et Pastor", assim como a todos os seus irmãos e filhos, a fim de que sejam semeadores de paz antes de mais na Terra Santa, no Iraque e no Líbano, onde a Igreja síria tem uma presença histórica tão apreciada.

Ao confiar-vos à Santíssima Mãe de Deus, concedo de todo o coração ao novo Patriarca e a cada um de vós, assim como às comunidades que representais, a Bênção Apostólica.

 

© Copyright 2009 - Libreria Editrice Vaticana

 

top