The Holy See
back up
Search
riga

JOÃO PAULO II

ANGELUS

19 de Janeiro de 1997

 

1. «Em nome de Cristo: Reconciliai-vos com Deus» (2 Cor. 5, 20).

O premente apelo à reconciliação, contido nestas palavras do apóstolo Paulo, é lançado com vigor e, ao mesmo tempo, com alegria e esperança, por ocasião da Semana de oração pela unidade dos cristãos, que se abriu ontem e se concluirá sábado, 25 de Janeiro, festa da Conversão de São Paulo. É um apelo que serve como tema condutor das assembleias interconfessionais, previstas para os vários dias desta semana.

No dia conclusivo, como é costume, presidirei a uma solene Celebração eucarística na Basílica de São Paulo fora dos Muros.

2. O tema da reconciliação, que é também objecto da Mensagem para o Dia Mundial da Paz deste ano, apresenta uma dúplice dimensão: a reconciliação com Deus, antes de tudo, e depois com os irmãos.

A divisão entre os cristãos encontra a sua verdadeira e última causa no pecado do homem, que é uma rebelião à vontade de Deus. Precisamente por isto o Concílio Ecuménico Vaticano II afirmou que «não há verdadeiro ecumenismo sem conversão interior» (Unitatis redintegratio, 7). Eis por que de todos aqueles que desejam ser operadores eficazes da unidade se requer a vontade firme, sustentada por oração constante, de conformar a própria vida ao Evangelho.

A comunidade cristã encontra-se em caminho rumo à reconciliação e à plena comunhão na fé, nos sacramentos e no ministério. Hoje, as relações entre os cristãos são de facto mais fraternas. Constata-se um melhor conhecimento recíproco, um mais atento respeito e também uma colaboração crescente que tem em vista consolidar o entendimento e a fraternidade. Contudo, permanecem diferenças doutrinais e práticas, que impedem a comunhão plena. O diálogo, por isso, deve ser intensificado e o empenho da oração ulteriormente desenvolvido.

3. Caríssimos Irmãos e Irmãs, no mundo de hoje, como em todas as épocas, não faltam tensões e conflitos, que mostram a exigência de uma profunda reconciliação. Como cristãos, somos chamados pelo Evangelho a ser operadores de paz e anunciadores da reconciliação, que Cristo trouxe para cada homem e para todos os homens (cf. 2 Cor. 5, 14.18).

Esta missão torna-se mais premente enquanto estamos a caminho rumo à Porta Santa do Ano 2000, quando celebraremos o Grande Jubileu. Se quisermos ser fiéis a Jesus Cristo, devemos empenhar-nos a fundo para que, no alvorecer do Terceiro Milénio, possamos encontrar-nos mais perto uns dos outros; e, todos juntos, mais próximos de Deus.

Para nos guiar neste caminho, invoquemos agora a Mãe de Deus, a qual, entre os outros títulos, tem também o de «Odigitria», Aquela que indica a Via.

 

© Copyright 1997 - Libreria Editrice Vaticana

 

top