The Holy See
back up
Search
riga

JOÃO PAULO II

ANGELUS

 Domingo, 9 de Fevereiro de 2003 

 

Caríssimos Irmãos e Irmãs

1. No próximo dia 11 de Fevereiro, memória litúrgica da Bem-Aventurada Virgem Maria de Lourdes, celebra-se o Dia Mundial do Doente. Trata-se de uma ocasião significativa, que ajuda as comunidades eclesiais a manter sempre viva a atenção aos irmãos e às irmãs enfermos e sofredores, e encoraja os operadores no campo da saúde a cuidar com dedicação constante o seu serviço profissional.

A coincidência desta celebração com a data da aparição da Virgem em Lourdes faz daquele lugar, consagrado pela presença de Maria, a referência constante do Dia do Doente. Da gruta de Massabielle, Maria não deixa de derramar no mundo do sofrimento a confortadora mensagem da confiança e da esperança.

2. Como se sabe, as celebrações principais  do  Dia  terão  lugar,  este  ano, no majestoso Santuário nacional da Imaculada Conceição de Washington, capital  dos  Estados  Unidos  da  América. Exprimo profunda gratidão a quantos se ocuparam das várias manifestações deste importante acontecimento eclesial.

Dirijo um pensamento reconhecido aos médicos e aos enfermeiros, assim como aos assistentes sociais, aos voluntários, aos sacerdotes, aos religiosos e às religiosas que trabalham no vasto campo da assistência aos doentes. O Dia do Doente renove em todos o desejo de servir com dedicação quem sofre, imitando Jesus, Bom Samaritano da humanidade.

3. Neste momento de preocupação internacional, todos sentimos a necessidade de nos dirigirmos ao Senhor para implorar o grande dom da paz. Como realcei na Carta apostólica Rosarium Virginis Mariae, "as dificuldades que o horizonte mundial apresenta, neste início de novo milénio, levam-nos a pensar que só uma intervenção do Alto [...] permite esperar num futuro menos sombrio" (n. 40). Têm lugar nestes dias, em várias partes do mundo, numerosas iniciativas de oração. Ao encorajá-las de coração, convido-vos a tomar nas mãos a Coroa do Rosário para invocar a intercessão da Virgem Santíssima:  "não se pode recitar o Rosário sem se sentir chamado a um preciso compromisso de serviço à paz" (Ibid., n. 6).

 

 

© Copyright 2003 - Libreria Editrice Vaticana

top