The Holy See
back up
Search
riga

JOÃO PAULO II  

AUDIÊNCIA  

Quarta-feira 1 de maio de 2002

Festa dos Trabalhadores

     

Caríssimos Irmãos e Irmãs:

1. Hoje, dia 1 de Maio, celebra-se a Festa do Trabalho. Para nós, cristãos, ela insere-se sob a protecção de São José Operário. Esta importante celebração é realçada por várias iniciativas que tendem a pôr em evidência a importância e o valor do trabalho, através do qual o homem, transformando a natureza e adaptando-a  às  suas  próprias  necessidades,  se  realiza  a  si  mesmo  como homem.

A este respeito, o convite a dominar a terra (cf. Gn 1, 28), inserido no início da história da salvação, reveste um interesse determinante e sempre actual. A criação é um dom de Deus, confiado à criatura humana para que, cultivando-o e conservando-o com cuidado, ela possa prover à suas próprias necessidades. É do trabalho que provém aquele "pão quotidiano", que incocamos na oração do Pai-Nosso.

Num certo sentido, poder-se-ia dizer que, mediante o trabalho, o homem se torna mais homem. Este é motivo pelo qual a laboriosidade é uma virtude. Contudo, para que a laboriosidade permita efectivamente que o homem se torne mais homem, é necessário que ela seja sempre ligada à ordem social do trabalho. É somente sob estas condições que se podem salvaguardar a dignidade inalienável da pessoa e o valor humano e social da actividade de trabalho. Confiamos à vigilante protecção de São José Operário quantos, em todas as regiões do mundo, fazem parte da grande família do trabalho.

2. Hoje tem início o mês dedicado a Nossa Senhora e muito querido à piedade popular. Muitas paróquias e famílias, seguindo tradições religiosas já consolidadas, continuam a fazer de Maio um mês "mariano", multiplicando ardorosas iniciativas  litúrgicas,  catequéticas  e pastorais!

Que ele seja, em toda a parte, um mês de intensa oração com Maria! Estes são os votos que vos formulo a todos do íntimo do coração, caríssimos Irmãos e Irmãs, recomendando-vos uma vez mais a recitação do santo Rosário quotidianamente. Trata-se de uma oração simples, aparentemente repetitiva, mas mais útil do que nunca para penetrar nos mistérios de Cristo e da sua e nossa Mãe. Ela é, ao mesmo tempo, um modo de rezar que a Igreja sabe que é do agrado da própria Nossa Senhora. Somos convidados a recorrer ao Rosário também nos momentos mais difíceis da nossa peregrinação na terra.

3. Começando o mês mariano, convido-vos a todos a unir-vos a mim em ordem a rezar pelos trabalhadores e, especialmente, por quantos se encontram em dificuldades no campo do trabalho. Além disso, não podemos deixar de intensificar a nossa confiante e incessante oração pela paz na Terra Santa, onde fazemos votos a fim de que, quanto antes, voltem a conviver na segurança e na serenidade, os povos de Israel e da Palestina ambos queridos ao meu coração. Que no-lo obtenha para nós a intercessão da Virgem Maria e do seu esposo São José, guardião do Redentor.


 Saudações

Saúdo afectuosamente os peregrinos de língua portuguesa com votos cordiais de felicidades! Dirijo uma saudação especial aos grupos de Portugal, das Paróquias de São João de Deus, de Lisboa, e de Nossa Senhora da Graça, de Évora, bem como aos visitantes de Barcelos, Fátima e Lisboa. Que Cristo, nossa Páscoa, seja para todos Senhor de misericórdia, a suscitar amor, paz e alegria. A todos, de coração, dou a minha Bênção, que torno extensiva aos vossos familiares e pessoas amigas.

Acolho com alegria os peregrinos de língua francesa, em particular os jovens do Liceu de Cordeliers de Dinan e do Liceu Saint-Charles de Saint-Brieuc, e os adultos da diocese, com o seu Bispo, D. Fruchaud. Que a vossa presença reforce a vossa fé e faça de vós testemunhas do Evangelho! Com a Bênção Apostólica.

Estou feliz por receber a delegação vinda de Nagasaki, no Japão. Saúdo também os estudantes da Noruega, do Adger University College. Agradeço ao Coro do Colégio de Wartburg pelos seus louvores a Deus com o canto. Sobre todos os peregrinos e visitantes presentes nesta audiência, invoco cordialmente as bênçãos de Deus e o dom da paz.

Saúdo cordialmente os peregrinos e visitantes provenientes das terras de expressão alemã. Depois, dou as minhas especiais boas-vindas aos participantes num seminário romano promovido pela Diocese de Hildesheim, na Áustria, e a um grupo do Ordinariato Militar de Kärnten. Enfim, saúdo todos os fiéis que nos acompanham através da Rádio Vaticana e da televisão, enquanto concedo  a  todos  a  minha  Bênção  Apostólica.

Saúdo os peregrinos de língua espanhola, de modo particular os jovens do Instituto italiano de cultura "Ausonia", de Quilmes (Argentina). Sobre vós e sobre todos os presentes invoco a protecção amorosa da Santíssima Virgem neste mês que Lhe é dedicado. Muito obrigado pela vossa atenção.

Saúdo cordialmente os peregrinos da Polónia. No primeiro dia de Maio, em que comemoramos São José Operário, acolho de modo especial com o pensamento e a oração todos os trabalhadores. O Salmista escreveu:  "Viverás do trabalho das tuas mãos, serás feliz e gozarás de todo o bem (Sal 127 [128], 2). Peço a Deus que, apesar das crescentes dificuldades e do desemprego, todos os polacos tomem parte nesta bênção do trabalho frutuoso. O trabalho digno seja para cada um e cada uma a fonte do bem e da felicidade.
A São José e a Maria, Rainha da Polónia, recomendo a nossa Pátria. Deus vos abençoe.

Dirijo uma cordial saudação aos peregrinos de língua italiana, em particular aos Seminaristas da diocese de Molfetta-Ruvo-Giovinazzo-Terlini, acompanhados do Bispo D. Luigi Martella. Caríssimos, peço para que o Espírito do Ressuscitado vos ajude a discernir o chamamento de Deus e a seguir a vossa vocação com fidelidade e alegria.

Desejo, por fim, dirigir-me como de costume, aos jovens, aos doentes e aos novos casais.
Caros jovens,
hoje, no início do mês de Maio, dedicado de modo especial à Mãe do Senhor, convido-vos a inscrever-vos na escola de Maria, para aprender a amar a Deus sobre todas as coisas e a estar sempre disponíveis e prontos a cumprir a sua vontade. A contemplação da Senhora das Dores vos ajude, queridos doentes, a olhar com fé o mistério da dor, acolhendo o valor salvífico escondido em cada cruz. Confio-vos, amigos novos casais, à protecção maternal da Virgem Santa e de São José, para que possais viver na vossa família o clima  de  oração  e  de  amor  da  casa de Nazaré.


 

 

top