The Holy See
back up
Search
riga

PAPA JOÃO PAULO II

AUDIÊNCIA

18 de dezembro de 2002

Compreender plenamente o valor e o significado do mistério do Natal

 

Caríssimos Irmãos e Irmãs:

1. Neste tempo de Advento acompanha-nos o convite do profeta Isaías:  "Dizei aos que têm o coração pusilânime:  "Tomai ânimo, não temais... o nosso Deus... vem em pessoa salvar-nos"" (Is 35, 4). Ele torna-se mais envolvente com a aproximação do Natal, enriquecendo-se com a exortação a preparar o coração para o acolhimento do Messias. Aquele que o povo espera virá certamente e a sua salvação será para todos os homens.

Na Noite Santa recordaremos o seu nascimento em Belém, reviveremos de certa forma as emoções dos pastores, a sua alegria e admiração. Contemplaremos com Maria e José a glória do Verbo que se fez homem para a nossa redenção. Rezaremos para que todos os homens acolham a vida nova que o Filho de Deus trouxe ao mundo assumindo a nossa condição humana.

2. A liturgia do Advento, repleta de evocações constantes da expectativa jubilosa do Messias, ajuda-nos a compreender plenamente o valor e o significado do mistério do Natal. Não se trata de comemorar apenas o acontecimento histórico, que se verificou há mais de dois mil anos numa pequena aldeia da Judeia. Ao contrário, é preciso compreender que toda a nossa vida deve ser um "advento", uma expectativa vigilante da vinda definitiva de Cristo. Para predispor o nosso coração para receber o Senhor que, como dizemos no Credo, virá um dia para julgar os vivos e os mortos, devemos aprender a reconhecê-lo, Ele que está presente nos acontecimentos da existência quotidiana. Então o Advento é, por assim dizer, um treino intenso que nos orienta decisivamente para Aquele que já veio, que virá e que vem continuamente.

3. Com estes sentimentos a Igreja prepara-se para contemplar extasiada, daqui a uma semana, o mistério da Encarnação. O Evangelho narra a concepção e o nascimento de Jesus, e conta as numerosas circunstâncias providenciais que precederam e rodearam um acontecimento tão prodigioso:  o anúncio do Anjo a Maria, o nascimento do Baptista, o coro dos anjos em Belém, a vinda dos Reis Magos do Oriente, as visões de São José. Todos eles são sinais e testemunhos que realçam a divindade deste Menino. Nasce em Belém o Emanuel, o Deus connosco.

A Igreja oferece-nos, na liturgia destes dias, três "guias" particulares, que nos indicam as atitudes que devemos assumir para ir ao encontro deste "hóspede" divino da humanidade.
4. Antes de mais, Isaías, o profeta do conforto e da esperança. Ele proclama um verdadeiro e próprio evangelho para o povo de Israel, escravo na Babilónia, e exorta a estar vigilantes na oração, para reconhecer "os sinais" da vinda do Messias.

Há, depois, João Baptista, precursor do Messias, que se apresenta como "voz de alguém que grita no deserto", pregando "um baptismo de conversão para o perdão dos pecados" (cf. Mc 1, 4). É a única condição para reconhecer o Messias que já está presente no mundo.
E por fim, Maria, que, nesta novena de preparação para o Natal, nos guia rumo a Belém. Maria é a Mulher do "sim" que, ao contrário de Eva, assume sem hesitar o projecto de Deus. Torna-se assim uma luz clara para os nossos passos e o modelo mais nobre no qual nos inspirarmos.
Caríssimos Irmãos e Irmãs, deixemo-nos acompanhar pela Virgem até ao Senhor que vem, permanecendo "vigilantes na oração e exultantes no louvor".

Desejo a todos uma boa preparação para as próximas festas do Natal.


Saudações

Ao desejar um Feliz Natal para todos os peregrinos de língua portuguesa, formulo votos de paz e de alegria para as suas famílias e comunidades, com uma propiciadora Bênção Apostólica.

Caros peregrinos croatas, saúdo-vos a todos com amizade, juntamente com os vossos Bispos e os Representantes da Autoridade civil do vosso País, aqui presentes. Sede bem-vindos!

Estou grato à República da Croácia pelo dom da árvore de Natal, oferecida como sinal das ligações profundas do Povo croata com a Sé de Pedro, que duram há catorze séculos. Agradeço de modo particular a todos os que se empenharam para levar a bom termo a ideia da árvore, lançada há quatro anos pela Conferência Episcopal Croata, nos dias seguintes à minha Visita pastoral a Zagrábia, Marija Bistrica, Split e Solin.

A gentil homenagem da Croácia recordará nos próximos dias aos que entrarem nesta Sala e aos peregrinos que passarem pela Praça de São Pedro no Vaticano, o Mistério da Encarnação, que iluminou os horizontes da humanidade com uma nova esperança. Que a luz dessa esperança possa ajudar os homens e os povos do nosso tempo a reconhecer o Menino nascido em Belém, o Emanuel, o Deus connosco, e a acolhê-lo na própria vida de cada dia para continuar, com confiança, o caminho nas sendas da história.

Confio novamente o vosso Povo à Bem-Aventurada Virgem, Rainha do Santo Rosário. Ela, Mãe do Verbo Encarnado, vos guie a vós e aos vossos compatriotas na novena de preparação para o Natal, começada há dois dias, a fim de poderdes ouvir cheios de esperança o alegre anúncio de que "nasceu para nós o Rei dos céus".

A todos vós, às vossas famílias e a todo o Povo croata, na Pátria ou no estrangeiro, concedo do coração a Bênção Apostólica.
Sejam louvados Jesus e Maria!

Saúdo cordialmente os peregrinos vindos da Polónia e de outros países.

Gloria in excelsis Deo et pax hominibus bonae voluntatis! Glória a Deus no alto dos céus e paz na terra aos homens de boa vontade.

Com estas palavras, na noite de Belém, os Anjos anunciaram a vinda do Salvador ao mundo. Vivendo o mistério do Natal, cheios de alegria, vamos generosamente ao encontro das necessidades dos outros, partilhemos o pão natalício e formulemos os nossos bons votos. Também eu quero fazer chegar até vós aqui presentes e a todos os meus concidadãos no País e no mundo os meus votos mais cordiais:  que o tempo do Natal seja para todos cheio de graça; que leve a todos a bênção de paz, de prosperidade e de felicidade.
Que  esta  bênção  vos  acompanhe sempre.

Dirijo, agora, uma cordial saudação aos peregrinos de língua italiana. Em particular, saúdo-vos, caros fiéis de Molise, recentemente atingidos pelo terremoto. Enquanto asseguro a minha constante oração por vós e pelos vossos familiares, encorajo-vos a olhar o amanhã com confiança e esperança. Faço votos, também, para que não cessem a atenção e a solidariedade da parte de toda a Nação para com a vossa comunidade. Saúdo, depois, os numerosos jogadores de "Bridge", vindos aqui em tão grande número.

Desejo saudar, por fim, os jovens, os doentes e os novos casais.
Caríssimos, agradeço-vos a todos pela vossa participação neste encontro. A poucos dias da solenidade do Natal, o amor que, no nascimento de Cristo, Deus manifesta à humanidade, possa fazer crescer em vós, caros jovens, o desejo de servir os irmãos. O Senhor que vem visitar-nos no mistério do Natal, vos dê consolo e esperança a vós, caros doentes. A alegria das próximas festas natalícias consolide em vós, queridos novos casais, a promessa de amor e de recíproca fidelidade.

 

 

 

 

top