The Holy See
back up
Search
riga

HOMILIA DO PAPA JOÃO PAULO II
NA MISSA CELEBRADA NA
PARÓQUIA ROMANA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS

17 de Outubro de 1999


1. "Dai a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus" (Mt 22, 21).
Na hodierna página do Evangelho sobressai a resposta dada por Jesus a alguns hebreus que procuravam, como noutras circunstâncias, colocá-lo à prova. Jesus evita a armadilha, revelando-se como um Mestre de grande sabedoria, que ensina fielmente a via de Deus sem ceder a compromissos.

Dai a Deus o que é de Deus! Emerge claramente que o que mais conta é o Reino de Deus. As palavras de Cristo iluminam a linha de conduta do cristão no mundo. A fé não lhe pede que se marginalize das realidades temporais; pelo contrário, torna-se-lhe um ulterior estímulo para que se comprometa com álacre generosidade na transformação a partir de dentro, contribuindo desta forma para a instauração do Reino dos céus.

Também a primeira Leitura, tirada do Livro do Profeta Isaías, põe em grande evidência esta verdade. Para os fiéis existe um só Deus, que com a sua Providência guia o caminho da humanidade através da história (cf. Is 45, 5-6). Precisamente por isso, eles comprometem-se na edificação da cidade terrena, com a finalidade de a tornar mais justa e humana. São sustentados neste esforço pela esperança de um dia participar na comunhão da cidade celeste, onde Deus será tudo em todos.

2. Dilectos Irmãos e Irmãs da Paróquia de São Francisco de Assis no Monte Mário! Hoje estou feliz por visitar a vossa Comunidade e celebrar a Eucaristia juntamente convosco. Neste período de imediata preparação para o Jubileu, é permanente o convite a contemplar o mistério da Encarnação do Filho de Deus, a fim de nos prepararmos para cruzar o limiar do terceiro milénio com a justa atitude interior.

Saúdo todos vós com grande afecto. Cumprimento o Cardeal Vigário, o Bispo Auxiliar do Sector, D. Vincenzo Apicella, o vosso zeloso Pároco Pe. Maurizio Fagnani, o Prepósito-Geral dos Escolápios e todos os Padres das Escolas Pias da Província Romana, que colaboram com ele na guia pastoral da Comunidade.

Depois, penso com reconhecimento nos inúmeros membros de Institutos religiosos presentes neste território paroquial, assim como nos numerosos grupos de leigos que, com várias iniciativas de catequese, caridade e animação do tempo livre, enriquecem a vida da Paróquia, e também nos membros do Conselho pastoral e do Conselho para os Assuntos Económicos.

Dirijo uma cordial saudação ao grupo Agesci 27, aos jovens animadores do "Oratório Calasanz", que recentemente foi fundado com a finalidade de realizar um centro de agregação para as crianças e os adolescentes deste bairro.

Felicito-vos por esta actividade a favor das jovens gerações e, sobretudo, estou feliz porque os adultos compartilham compromissos e responsabilidades da pastoral juvenil, não abandonando os jovens no seu caminho de crescimento e de educação na fé. Para os jovens o facto de terem ao seu lado adultos maturos, que saibam propor-lhes metas elevadas, capazes de escutá-los e de oferecer-lhes respostas válidas aos fundamentais interrogativos existenciais, constitui uma garantia para o seu futuro e para o enriquecimento da Igreja e da sociedade. Por conseguinte, exorto-vos a prosseguir ao longo deste caminho, inspirando-vos no exemplo de São José de Calasanz, Fundador das Escolas Pias e Padroeiro das escolas populares cristãs, que muito se prodigalizou pelo bem e pela formação cristã e cultural da juventude.

3. Falando aos jovens, o meu pensamento dirige-se naturalmente para o próximo Dia Mundial da Juventude que, como se sabe, vai ser celebrado em Roma de 15 a 20 de Agosto de 2000. Não obstante se trate de uma inciativa destinada em primeiro lugar aos jovens, ela não pode deixar de contar com a participação da inteira Comunidade cristã de Roma, em cada um dos seus componentes e sectores. É necessário preparar-se para oferecer uma calorosa hospitalidade aos jovens e às jovens que vierem a Roma para essa circunstância. Através da intercessão de Maria, confiemos ao Senhor o feliz êxito e os frutos espirituais que este grandioso evento não deixará de produzir.

Além do vosso louvável compromisso em benefício da formação dos jovens, não quero esquecer as inúmeras outras iniciativas de caridade e de evangelização presentes na vossa Paróquia, especialmente aquelas que constituem o fruto da Missão da Cidade que há pouco se concluiu, mas cujo espírito e estilo devem continuar a impregnar todas as actividades apostólicas. Refiro-me em particular à realização de um núcleo de hospitalidade e de conforto para os pobres, assim como aos centros de escuta do Evangelho, que abristes em muitas partes deste bairro. Jamais nos devemos cansar de ser missionários e de difundir o Evangelho da caridade.

4. Caríssimos paroquianos da Paróquia de São Francisco de Assis no Monte Mário! Ao vir hoje de manhã ao meio de vós, observei que a vossa Comunidade dispõe de uma igreja pequena que, não obstante se glorie com mais de três séculos de história, se revela contudo insuficiente para as vossas exigências litúrgicas e pastorais. Enquanto formulo votos por que muito cedo possais contar com uma igreja maior, exorto-vos a haurir das pequenas dimensões do edifício um ulterior estímulo a ser uma Comunidade viva, comprometida na transmissão do Evangelho em toda a parte. Sede uma Paróquia missionária, composta de fiéis apaixonados por Cristo e capazes de testemunhar a fé com a vida.

A Virgem Maria vos proteja, e os Santos José de Calasanz e Francisco de Assis obtenham de Deus para cada um de vós o dom da perseverança nos propósitos de bem, no espírito e nos compromissos da nova evangelização.

Amém!

© Copyright 1999 - Libreria Editrice Vaticana

top