The Holy See
back up
Search
riga

MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II
AO CARDEAL CAMILLO RUINI
NO XXV ANIVERSÁRIO
DA CÁRITAS DIOCESANA DE ROMA

Ao Venerado Irmão Senhor Cardeal CAMILLO RUINI
Vigário-Geral para a Diocese de Roma

1. Foi com profundo prazer que tomei conhecimento de que a Cáritas de Roma se prepara para celebrar o vigésimo quinto aniversário de fundação. Nesta feliz circunstância, é-me grato transmitir-lhe, Senhor Cardeal, assim como aos responsáveis e às pessoas que estão a realizar esta importante realidade pastoral, bem como a toda a comunidade diocesana, a minha cordial saudação de bons votos.

Instituída pelo saudoso Cardeal Ugo Poletti, para corresponder às numerosas formas de pobreza presentes no território, e confiada ao zelo sacerdotal do inesquecível Mons. Luigi Di Liegro, ao longo destes anos esta benemérita Instituição proclamou e testemunhou o Evangelho da caridade com admirável ardor apostólico. Sacerdotes, pessoas consagradas e fiéis leigos, especialmente jovens, esforçaram-se em vista de se tornar sinais eloquentes do amor de Deus e instrumentos de paz em todos os ambientes, encorajando sobretudo as comunidades cristãs a dedicarem atenção aos últimos.

À distância de vinte e cinco anos, podem constatar-se os frutos de uma iniciativa extremamente providencial, tanto para as paróquias romanas como para toda a comunidade civil. Também as entidades públicas, de modo particular a Região do Lácio e o Município de Roma, se valem amplamente da sua actividade, enquanto não lhes deixam faltar o seu apoio generoso.

2. Desejo manifestar a minha profunda gratidão pelo esforço com que a Cáritas de Roma continua a prodigalizar-se em vista do desenvolvimento integral da pessoa humana. É preciosa a missão que ela leva a cabo mediante louváveis e corajosas actividades de solidariedade cristã. Indo ao encontro dos pobres e levando alívio aos doentes e aos que sofrem, ela testemunha de maneira concreta a "fantasia da caridade", à qual exortei os cristãos na minha Carta Apostólica Novo millennio ineunte (cf. n. 50).

Formulo votos a fim de que esta feliz efeméride, actuando no âmbito deste importante organismo diocesano, suscite um renovado desejo de fidelidade ao carisma originário: ele refere-se de maneira essencial ao amor gratuito e misericordioso de Deus pelos homens, assim como à virtude sobrenatural da caridade, infundida no coração dos fiéis. Tendo como fundamento estas sólidas referências espirituais, encorajo a progredir com confiança e impulso apostólico, tanto na obra de formação como nas actividades de todos os dias.

Cresça em todos a adesão ao Evangelho de Cristo, fonte de onde jorra perenemente a vitalidade apostólica, para poder enfrentar audaciosamente os desafios do nosso tempo. Tanto no presente como no passado, dos promotores da caridade cristã requer-se sobretudo que vivam uma familiaridade íntima e constante com o Mestre divino, a fim de que o serviço aos irmãos mais necessitados se manifeste com uma paixão ardente pela Igreja e pela salvação do mundo. É necessário alimentar a obra e o testemunho da caridade, detendo-se todos os dias em oração e pondo-se regularmente à escuta da Palavra de Deus. É importante sobretudo que a existência esteja centrada sobre o mistério da Eucaristia, para imitar Jesus e, segundo o seu exemplo, estar cada vez mais prontos para ser os "bons samaritanos" daqueles que, hoje, vivem em condições de necessidade ou de abandono.

3. A Virgem Maria, "Salus Populi Romani", acompanhe a Cáritas de Roma com a sua protecção maternal. Quanto a mim, asseguro a lembrança constante na oração enquanto, do íntimo do coração, concedo uma especial Bênção Apostólica a Vossa Eminência, Venerado Irmão, assim como ao Director, Mons. Guerino Di Tora, aos membros, aos voluntários e a quantos cooperam nos diversos projectos de bem, levados a cabo por esta preciosa Instituição diocesana, e dirijo um pensamento particular a quantos são amorosamente assistidos por ela.

Vaticano, 29 de Setembro de 2004.

 

PAPA JOÃO PAULO II

 

© Copyright 2004 - Libreria Editrice Vaticana

 

top