The Holy See
back up
Search
riga

MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II
 PARA O 27º DIA MUNDIAL
DAS COMUNICAÇÕES SOCIAIS 1993

«Videocassete e audiocassete
na formação da cultura e da consciência»

[Domingo, 23 de Maio de 1993]

 

Caros irmãos e irmãs!

Há um ano da publicação da Instrução pastoral Aetatis novae sobre os meios de comunicação social, convido-vos a todos, ainda uma vez, a refletir sobre a visão que a Instrução apresentou do mundo moderno e sobre as implicações práticas das situações nela descritas. A Igreja não pode ignorar as mudanças, muitas e sem precedentes, causadas pelo progresso neste importante e onipresente aspecto da vida moderna. Cada um de nós deve perguntar-se sobre a sabedoria necessária para aproveitar as oportunidades que o desenvolvimento da tecnologia moderna da comunicação oferece ao serviço de Deus e do seu povo reconhecendo, ao mesmo tempo, os desafios que o progresso impõe, inevitavelmente.

Como a Instrução pastoral Aetatis novae nos lembra, "a comunicação conhece uma expansão considerável que influencia profundamente o conjunto das culturas de todo o mundo" (Aetatis novae, n. 1). Podemos, na verdade, falar de uma "nova cultura" criada pelas comunicações modernas, que envolve a todos, especialmente as gerações mais jovens; cultura que é resultado, em grande parte, dos progressos tecnológicos que despertaram "novos modos de comunicar, com novas linguagens, novas técnicas e novas atitudes psicológicas" (Redemptoris missio, n. 37), A Igreja, hoje, coloca seu empenho para cumprir a missão de proclamar a Palavra de Deus, e enfrenta o grande desafio de evangelizar esta nova cultura, expressando a imutável verdade do Evangelho nesta linguagem. Uma vez que todos os crentes estão envolvidos nestas mudanças, cada um de nós é chamado a adaptar-se às situações que mudam e a descobrir modos eficazes e responsáveis de usar os meios de comunicação social para a glória de Deus e a serviço de sua criação.

Na minha mensagem para o Dia Mundial das Comunicações Sociais do ano passado, lembrava que entre as realidades que celebramos nesta ocasião anual estão os dons, concedidos por Deus, da palavra, do ouvido e da vista, por meio dos quais é possível a comunicação entre nós. Neste ano, o tema do Dia Mundial põe em evidência dois "novos meios" de comunicação que, de maneira notável, estão a serviço destes sentidos: os audiocassetes e os videocassetes.

Os audiocassetes e os videocassetes nos permitem ter à mão e transportar com facilidade um número ilimitado de programas audiovisuais, como meios para a instrução ou para o entretenimento, para uma maior e mais completa compreensão das notícias e da informação, ou para a apreciação da beleza e da arte. É importante ver esses recursos novos como instrumentos que Deus, por meio da inteligência e da engenhosidade humana, pôs à nossa disposição. Como todos os dons divinos, estes nos foram dados para serem usados para o bem e para ajudar indivíduos e comunidades a crescer no conhecimento e na valorização da verdade, como também na consideração da dignidade e das necessidades dos outros. Os audiocassetes e os videocassetes, além disso, possuem uma grande potencialidade e podem ajudar as pessoas a progredir culturalmente, socialmente e, ainda, na esfera religiosa. Podem ser muito úteis na transmissão da fé, mesmo que não possam nunca substituir o testemunho pessoal que é essencial na proclamação da verdade, na sua integridade, e dos valores da mensagem cristã.

Espero que todos os que estão empenhados profissionalmente na produção de programas audiovisuais, em cassetes ou outras técnicas, reflitam sobre a necessidade que a mensagem cristã tem de encontrar expressão, explicita ou implicitamente, na nova cultura criada pelas comunicações modernas (Aetatis novae, n. 11). Isto deveria não só ser conseqüência natural da "presença ativa e aberta da Igreja no meio do mundo das comunicações, (Aetatis novae, n. 11) mas, também, resultado de um esforço concreto por parte dos comunicadores. Os profissionais dos meios de comunicação, conscientes do autêntico valor, do impacto e da influência de suas produções, deverão colocar um empenho especial para realizar seu intento, com qualidade moral tão elevada que garantam sempre efeitos positivos sobre a formação da cultura; e deverão resistir à ilusão, sempre presente, de um proveito fácil e rechaçar com firmeza a participação em produções que explorem as fraquezas humanas, ofendem as consciências ou insultem a dignidade humana.

É igualmente importante que todos os que fazem uso dos meios de comunicação, como os audiocassetes e os videocassetes, não se considerem como simples consumidores. Cada indivíduo, simplesmente externando aos produtores e revendedores as próprias reações diante de conteúdos de um desses meios, pode ter uma influência determinante sobre o conteúdo e sobre o nível moral das futuras produções. A família, especialmente, célula fundamental da sociedade, é influenciada profundamente pela atmosfera em que vive, criada pelos meios de comunicação. Os pais têm, por isso, a grave responsabilidade de educar a família a um uso crítico dos meios de comunicação social. A importância desta tarefa deve ser explicada especialmente aos casais de jovens esposos. Nenhum programa de catequese deveria subestimar a necessidade de ensinar às crianças e aos jovens um uso apropriado e responsável dos meios de comunicação.

Neste Dia Mundial das Comunicações Sociais, estendo a minha mais cordial saudação a todos os profissionais, homens e mulheres, empenhados em servir a família humana através dos meios de comunicação, a todos os membros das organizações internacionais católicas das comunicações sociais, que agem no mundo neste campo e à grande platéia dos receptores, em contato com a qual levam o peso de uma responsabilidade verdadeiramente grande. Que Deus onipotente conceda a todos vós os seus dons.

Cidade do Vaticano, 24 de Janeiro de 1993, Festa de São Francisco de Sales, patrono dos jornalistas.

 

PAPA JOÃO PAULO II

 

© Copyright 1993 - Libreria Editrice Vaticana 

 

top