The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
 AOS MEMBROS DA ACÇÃO CATÓLICA ITALIANA

Sábado, 22 de Dezembro de 1979

 

Caríssimos jovens da Acção Católica, que viestes de Roma e de todas as Regiões da Itália para dar ao Papa os votos de Bom Natal, em representação dos vossos amigos e amigas.

Saudo-vos cordialmente e, em vós, pretendo saudar todos os membros da Acção Católica da Juventude da Itália; melhor, desejo fazer chegar a minha afectuosa saudação de Natal a todos os jovens do mundo, confiando-vos a vós o encargo de anunciar a todos que o Papa os ama, como os ama Jesus!

Obrigado, portanto, pela vossa visita e pelos vossos votos, tão sinceros e espontâneos, que são um gesto comovente de fé e devoção para com o Vigário de Cristo.

Retribuo de bom grado a vossa delicada atenção com os meus fervorosos votos.

E o meu primeiro voto é, antes de mais, que estejais sempre conscientes do verdadeiro valor do Santo Natal. Que significa, de facto, este acontecimento tão grandioso e solene, que tem lugar na humildade e no silêncio da gruta de Belém? Vós sabei-lo: o Natal recorda-nos que o próprio Deus, Criador do Universo, se quis tornar homem como nós, suas criaturas, quis nascer de Maria Santíssima, de modo miraculoso mas real, e aceitar como nós a vida quotidiana com todas as suas alegrias e sofrimentos.

Jesus é a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade que assumiu em si a natureza humana: é este um acontecimento tão estrondoso e único que dá novo rumo à história humana. Deus tornou-se como nós!

Caríssimos, mantende vivo o sentido verdadeiro do Natal; estai sempre conscientes do seu autêntico significado: Jesus nasceu para cada um de nós, para cada homem, para cada rapaz e cada menina, mesmo se estes o não sabem ou não o conhecem nasceu para nos amar, para nos salvar, para nos indicar o verdadeiro sentido da vida: Mantende, também por isto, sempre viva a verdadeira alegria do Natal, que é alegria imensa, interior e sobrenatural. esta a alegria que vos desejo agora e para sempre.

O segundo voto é que sejais sempre testemunhas do Natal, durante a vossa vida e em qualquer lugar onde vos encontreis.

Ser testemunhas do Natal significa aceitar a mensagem de Jesus como definitiva e decisiva, porque divina. Jesus é o Verbo Encarnado, é a "palavra de Deus" feita carne para comunicar a Verdade, para revelar, para iluminar a humanidade sobre os seus eternos destinos. Jesus é a luz; não se pode prescindir d'Ele.

Ser testemunhas do Natal significa viver a presença de Jesus em nós através da "graça" e da Eucaristia. A recordação do Natal histórico deve transformar-se em empenho para o Natal místico, que está sempre presente no íntimo da alma e se renova de modo misterioso no encontro eucarístico, mediante a Santa Comunhão. Sede sempre amigos de Jesus Eucarístico para poderdes gozar em cada momento a alegria do Natal.

Ser testemunhas do Natal significa ainda transformar a vida em dom de caridade e de generosidade para com todos os irmãos. Caridade espiritual junta com a bondade, a docilidade e a oração, e com a ajuda a todos aqueles que sofrem na miséria, na doença e no abandono. Mas também caridade total, respondendo generosa e completamente à vocação sacerdotal ou religiosa, se vos sentirdes chamados a este superior estado de vida.

Caríssimos!

Passai o Santo Natal na alegria, junto dos vossos presépios, junto dos vossos Pais e familiares, a quem levareis também os meus votos.

Assista-vos Nossa Senhora. Acompanhe-vos a minha afetuosa Bênção.

 

 © Copyright 1979 - Libreria Editrice Vaticana

 

top