The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
AOS PARTICIPANTES NO CONGRESSO
EUROPEU DOS MOVIMENTOS PELA VIDA

26 de Fevereiro de 1979

 

Ilustres Senhores

Sede bem vindos à casa do Papa. Acolhi com prazer o desejo por vós expresso, duma Audiência especial por ocasião do vosso segundo Congresso Europeu, porque este encontro oferece-me ocasião de dizer-vos, e a todos os filiados nos Movimentos pela Vida, uma palavra de louvor e de incitamento a fim de que persevereis no nobre compromisso, que para vós tomastes, em defesa do homem e dos seus direitos fundamentais. Lutais para que seja reconhecido a cada homem o direito a nascer. a crescer, a desenvolver harmoniosamente as próprias capacidades e a construir livre e dignamente o seu destino transcendente.

São estas, finalidades altíssimas, e alegro-me ao ver que, ao procurarem atingi-las, estão unidos não só os filhos da Igreja católica, mas ainda membros doutras confissões religiosas e pessoas doutra orientação ideológica, pois considero isto como expressão daquele «acordo em apoiar-se nalguns princípios, elementares mas firmes», «princípios de humanidade» que «todo o homem de boa vontade pode encontrar ... na sua própria consciência», a que me referia na minha recente Mensagem para o Dia Mundial da Paz.

Fiel à missão recebida do seu Fundador divino, a Igreja afirmou sempre, mas com especial vigor no Concílio Ecuménico Vaticano II, a sacralidade da vida humana. Quem não recorda aquelas palavras solenes?: «Deus, Senhor da vida, confiou aos homens a missão altíssima de proteger a vida: missão que deve ser cumprida de modo humano. Por isso, a vida humana, desde o momento da concepção, deve ser protegida com o maior cuidado» (Const. past. Gaudium et Spes, 51). Baseados nesta convicção, os Padres conciliares não hesitaram em condenar, sem meios termos «tudo quanto se opõe à vida, como seja toda a espécie de homicídio, genocídio, aborto, eutanásia e suicídio voluntário; tudo o que viola a integridade da pessoa humana, como as mutilações, os tormentos corporais e mentais e as tentativas mesmo para violentar as consciências; tudo quanto ofende a dignidade da pessoa humana, como as condições de vida infra-humanas, as prisões arbitrárias, as deportações, a escravidão, a prostituição, o comércio de mulheres e jovens; e também as condições degradantes de trabalho, em que os operários são tratados como meros instrumentos de lucro e não como pessoas livres e responsáveis» (Ibid., 27).

Neste contexto se coloca o vosso compromisso. Consiste, em primeiro lugar, numa acção, inteligente e assídua, de sensibilização das consciências acerca da inviolabilidade da vida humana em todos os seus períodos, de maneira que o direito a ela seja eficazmente reconhecido nos costumes e nas leis, como valor fundamental de toda a convivência que pretenda chamar-se civil; exprime-se, depois, na corajosa tomada de posição contra qualquer forma de atentado à vida, venha ele donde vier; e traduz-se, por fim, na oferta desinteressada e respeitosa, de auxílios concretos às pessoas a quem se deparam dificuldades em conformar o próprio comportamento com os ditames da consciência.

Trata-se de obra de grande humanidade e de generosa caridade, que não pode deixar de merecer a aprovação de todas as pessoas conscientes das possibilidades e dos riscos, que a nossa sociedade enfrenta.

Não vos desanimem as dificuldades, as oposições e os maus êxitos que podeis encontrar no vosso caminho. Está em questão o homem e, quando está em jogo semelhante parada, ninguém pode fechar-se em atitude de resignada passividade sem, com isso, abdicar de si mesmo. Como Vigário de Cristo, Verbo de Deus encarnado, eu vos digo: Tende fé em Deus, Criador e Pai de todo o ser humano; tende confiança no homem, criado à imagem e semelhança de Deus e chamado a ser Seu filho no Filho. A causa do homem já teve, em Cristo, morto e ressuscitado, o seu veredicto definitivo: a vida vencerá a morte!

Com esta esperança no coração, de boa vontade concedo a vós todos, em penhor da assistência divina, a minha Bênção Apostólica.

 

 

top