The Holy See
back up
Search
riga

VIAGEM APOSTÓLICA DO SANTO PADRE AOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

ENCONTRO COM FIÉIS NO «SHEA STADIUM» DE NOVA IORQUE

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II

Quarta-feira, 3 de Outubro de 1979

 

Caros Amigos de Nova Iorque

Sinto-me verdadeiramente feliz de encontrar a oportunidade de vir aqui e saudar-vos vivamente ao dirigir-me para o aeroporto de La Guardia, após a minha visita à Arquidiocese e à Metrópole de Nova Iorque.

Obrigado pelas vossas calorosas boas-vindas. Mais uma vez quero saudar todo o povo de Nova Iorque, Long Island, New Jersey e Connecticut, Brooklyn, e todas as vossas Paróquias, hospitais, escolas e organizações, os vossos doentes e os vossos anciãos. Com afecto especial saúdo os jovens e as crianças.

De Roma trago-vos uma mensagem de esperança e de amor. A paz de Cristo reine nos vossos corações! (Col 3, 15). Oxalá a paz seja o desejo do vosso coração, porque, se amais a paz, amareis toda a humanidade, sem distinção de raça, cor ou crenças.

A minha saudação é ao mesmo tempo um convite a todos vós para que vos querais sentir pessoalmente responsáveis pelo bem-estar e pelo espírito comunitário da vossa cidade. Quem visita Nova Iorque é sempre conquistado pelo carácter especial desta metrópole: arranha-céus, ruas sem fim, grandes zonas residenciais, grupos de casas, e sobretudo tantos milhões de pessoas que vivem aqui e aqui procuram o trabalho que dará sustento a eles próprios e a cada família.

Grandes concentrações de população criam especiais problemas e especiais necessidades. Requerem-se esforço pessoal e a honesta colaboração de todos, para se encontrarem as soluções justas, a fim de que todos os homens, mulheres e crianças, possam viver com dignidade e desenvolver plenamente o seu potencial sem que tenham de sofrer por falta de educação, casa, trabalho e oportunidades culturais. Mas se uma cidade deve tornar-se verdadeiro domicilio para seres humanos, tem necessidade de uma alma. Compete a vós, homens, dar-lhe esta alma. De que modo? Amando-vos reciprocamente. No Evangelho Jesus diz-nos: Amarás o próximo como a ti mesmo (Mt 22, 39). Este mandamento do Senhor deve inspirar-vos para que estabeleçais as verdadeiras relações humanas entre vós: de modo que ninguém se sinta sozinho ou não desejado, e ainda menos rejeitado, desprezado e odiado. Jesus mesmo vos dará a força do amor fraterno. E então cada bairro, cada quarteirão e cada rua tornar-se-ão uma verdadeira comunidade porque vós quereis que isto aconteça e porque Jesus Cristo vos ajudará a realizá-lo.

Tende Cristo nos vossos corações, e reconhecereis o seu rosto em cada ser humano. Querereis então socorrê-lo em cada necessidade sua: as necessidades dos vossos irmãos e das vossas irmãs. Este é o modo de nos prepararmos para encontrar Jesus, quando voltar de novo, no último dia, como Juiz dos vivos e dos mortos, e nos disser: Vinde, bem-aventurados do meu Pai, recebereis em herança o reino preparado para vós desde a fundação do mundo. Porque eu tinha fome e destes-me de comer, tive sede e destes-me de beber; era forasteiro e destes-me hospitalidade, nu e vestistes-me, doente e visitastes-me, prisioneiro e fostes-me visitar... Em verdade vos digo: quando algum de vós faz uma destas coisas a um destes meus irmãos mais pequeninos, a Mim mesmo o faz ( Mt 25, 34-35, 39).

Desejo agora dirigir uma saudação muito cordial a cada um dos membros da colónia de língua espanhola provenientes de diversos Países e aqui presentes neste estádio:

Em vós vejo representada e desejo saudar com muito afecto a comunidade espanhola, que vive em Nova Iorque e noutras partes dos Estados Unidos.

Posso assegurar-vos que estou bem consciente do lugar que ocupais na sociedade americana, e que sigo com vivo interesse as vossas realizações, aspirações e dificuldades, dentro do tecido social desta Nação que é a vossa pátria de adopção e a terra que vos acolhe. Por esta razão, desde o momento em que aceitei o convite para visitar este País, pensei em vós, que sois parte integral e específica desta sociedade, parte considerável da Igreja nesta vasta nação.

Quereria exortar-vos, como católicos, a manterdes sempre bem clara a vossa identidade cristã, com, uma referência constante aos valores da vossa fé, valores que devem iluminar a vossa busca de uma posição material digna de vós mesmos e das vossas famílias.

Dado que estais geralmente imersos em ambientes de cidades com grande densidade de população e num clima onde às vezes a tecnologia e os valores materiais tomam o primeiro lugar, deveis esforçar-vos por dar um contributo espiritual à vossa vida e ao vosso próximo.

Na vossa vida estai junto a Deus, a Deus que vos convida a serdes cada vez mais dignos da vossa condição de seres humanos que receberam uma vocação eterna, a Deus que vos convida à solidariedade e a colaborar para construir um mundo mais humano, mais justo e mais fraterno.

Peço por vós, pelas vossas famílias e amigos, e sobretudo pelos vossos filhos, pelos doentes e os que sofrem. A todos dou a minha Bênção. Deus esteja sempre convosco.

Até à vista e Deus vos abençoe.

 

  © Copyright 1979 - Libreria Editrice Vaticana

 

top