The Holy See
back up
Search
riga

VIAGEM APOSTÓLICA DO SANTO PADRE À IRLANDA

VISITA AO CENTRO MONÁSTICO DE CLONMACNOIS

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II

Domingo, 30 de Setembro de 1979

 

Caros Irmãos e Irmãs

Esta visita a Clonmacnois oferece-me ocasião de prestar homenagem às tradições de fé e vida cristã na Irlanda.

Desejo, em especial, evocar e honrar o grande contributo monástico oferecido à Irlanda neste lugar sagrado durante não menos de 1.000 anos, cuja influência se estendeu a toda a Europa por obra de monges missionários e estudantes desta escola monástica de Clonmacnois.

Quando vemos as obras de fé, devemos dar graças a Deus. Graças a Deus pelas origens desta fé apostólica na Irlanda. Graças a Deus pelos Santos e os Apóstolos e todos aqueles que lançaram a semente desta fé e a mantiveram viva, e "fizeram a vontade de Deus através dos séculos". Graças a Deus pela generosidade da fé que produziu frutos de justiça e santidade de vida. Graças a Deus por ter preservado a fé na sua integridade e pureza de doutrina. Graças a Deus pela continuidade da mensagem dos Apóstolos, transmitida intacta até hoje.

Não esqueçais nunca o louvor e a promessa que expressou São Columbano a Bonifácio IV em Roma: "Nós irlandeses... somos discípulos de São Pedro e São Paulo...; conservamos intacta a fé católica que primeiro recebemos de vós".

Esta fé católica está hoje na Irlanda intacta, viva e activa. Pelos méritos de Nosso Senhor Jesus Cristo e a força da sua graça, pode e deve continuar a ser sempre assim na Irlanda.

Clonmacnois foi largos anos centro duma apreciada escola de arte sacra. O Relicário de São Manchan, que ainda hoje se encontra sobre o altar, é magnifico exemplo desta actividade. Parece-me este o lugar indicado para exprimir o meu reconhecimento pelas obras-primas de arte sacra irlandesa, de que vários exemplares me foram oferecidos por ocasião desta minha visita.

A arte irlandesa está muitas vezes impregnada da fé profunda e devoção do povo, expressa pela sensibilidade pessoal dos seus artistas. Cada peça de arte — seja religiosa ou profana, seja pintura, escultura, poesia ou qualquer forma de artesanato realizada com amorosa mestria — é sinal e símbolo do imperscrutável segredo da existência humana, da origem do homem e do seu destino, do significado da vida e do trabalho. Fala-nos do significado do nascimento e da morte, da grandeza do homem.

Louvado seja Jesus Cristo.

 

Copyright © 1979 - Libreria Editrice Vaticana 

 

top