The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
 AO CLERO DIOCESANO DE ALBANO (ITÁLIA)

Palácio Pontifício de Castel Gandolfo
Sábado, 13 de Setembro de 1980

 

Agradeço-vos esta vossa visita. Pensava-se em poder encontrar-vos na vossa Catedral ou no vosso Seminário, mas por motivos organizativos decidiu-se fazer-vas vir aqui a Castel Gandolfo. Espero que haja uma outra ocasião para que eu possa ir à vossa Catedral, assim como fui visitar a Catedral de Velletri e a de Frascati para me encontrar com a Igreja tusculana.

O nosso amadíssimo Bispo, D. Gaetano Bonicelli, acenava àquela rocha de que fala Jesus; deve-se pensar naquela rocha que é a Igreja na sua realidade particular. Uma rocha que consiste em participar nas missões de Cristo: profética, sacerdotal e régia. Daqui cresce a Igreja, cresce o Povo de Deus, cresce o Reino de Deus. Esta rocha invisível que é Cristo, porque é Ele que nos faz participar na sua missão. E a Igreja de Albano é uma realidade concreta, uma "participante" na missão de Cristo, com todo o Povo de Deus, com toda a sua realidade humana e cristã, e sobretudo com o seu clero. Os sacerdotes são sempre a expressão mais perfeita da missão da Igreja, do espírito que os impulsiona a entrar nesta missão.

E os sacerdotes estão também ligados aos Apóstolos, aos seus sucessores para dar a esta missão uma consistência, urna unidade visível, uma unidade jerárquica, mas sobretudo uma unidade apostólica, uma unidade "viva e vivificante".

O augúrio que desejo formular-vos é de que possais ser assim. Augúrio que expresso ao presbitério da Diocese de Albano e ao seu Seminário, isto é, ao futuro do presbitério desta Diocese.

 

© Copyright 1980 - Libreria Editrice Vaticana

 

top