The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
AO NOVO EMBAIXADOR DA REPÚBLICA
ISLÂMICA DO IRÃO JUNTO DA SANTA SÉ
 POR OCASIÃO DA APRESENTAÇÃO DAS CARTAS CREDENCIAIS

Sábado, 14 de Novembro de 1981

 

Senhor Embaixador

Embora Vossa Excelência já tenha dado início na devida altura, à sua missão diplomática junto da Santa Sé, é-me grato poder hoje aceitar pessoalmente as Cartas Credenciais que o acreditam como Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário da República Islâmica do Irão.

A importância desta cerimónia está em relação com o povo iraniano como um todo. É orientada para a seu bem-estar; abrange a sua história, a sua cultura e o seu destino. A presença de Vossa Excelência aqui propõe-se ser um sinal de esperança para todos os seus compatriotas; serão eles os primeiros beneficiários dos esforços envidados para a promoção da verdadeira paz e da dignidade humana. Entre os compatriotas de Vossa Excelência contam-se os membros da comunidade católica, que pertencem de pleno direito à nação; eles desejam trabalhar pelo verdadeiro bem e o desenvolvimento dela, e procuram apenas ter, juntamente com os outros irmãos e irmãs iranianos, plena liberdade de religião e de acção. Manifesto o meu profundo e fraternal interesse pela prosperidade deles, como pelo bem-estar de todo o povo do seu país.

Vossa Excelência recordou os sofrimentos da guerra e a violência do terrorismo. A guerra e o terrorismo são males que os meus predecessores e eu denunciámos constantemente. Mas com não menos intensidade temos procurado proclamar e inculcar aquela justiça essencial e aquele amor fraterno que justamente animam o comportamento entre os membros da mesma família humana. A Santa Sé deseja a compreensão e reconciliação mútuas; trabalha para eliminar a guerra em si mesma e as suas causas, e para abolir o ódio.

Como Vossa Excelência bem pode Saber, a Santa Sé aprova a soberania nacional e a integridade, como também crê na justiça internacional e na liberdade pacífica do universo. Defende a unidade da família humana, a importância da amistosa cooperação entre as nações e o profundo e permanente respeito pela vida humana — a vida de cada homem, mulher e criança sobre esta terra. Mediante a sua actividade diplomática — inspirada naqueles princípios religiosos que sucessivamente dão bases seguras para outros valores sagrados, inclusive a justiça e a paz —, a Santa Sé determinou perseguir estes fins e apoiar todas as iniciativas válidas que fortaleçam, protejam e honrem a vida humana.

É neste espírito que lhe dou as boas-vindas e recebo a mensagem de Sua Eminência o Iman Khomeini, da qual Vossa Excelência é autorizado portador. Retribuo esta mensagem com uma devota saudação de paz para ele e para o Presidente do Irão. Sobre o país inteiro invoco as bênçãos de Deus Todo-Poderoso e Misericordioso.

E a Si, Senhor Embaixador, dou-lhe a certeza de que será assistido na sua missão, implorando que ela seja um contributo efectivo para promover a causa da dignidade humana e da paz mundial.

 

© Copyright 1981 Libreria Editrice Vaticana

 

top