The Holy See
back up
Search
riga

VISITA PASTORAL A SÃO MARINHO E A RÍMINI

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
NA CERIMÓNIA DE BOAS-VINDAS EM RÍMINI

Arco de Augusto, Rimini
Domingo, 29 de Agosto de 1982

 

1. Estou-lhe verdadeiramente agradecido, Senhor Ministro, pelas palavras com as quais quis trazer-me a saudação do Governo italiano e a sua pessoal. Estou-lhe além disso grato, Senhor Presidente da Câmara, pelas calorosas boas-vindas com que me acolheu em nome de toda a população, da qual, na saudação agora pronunciada, soube interpretar bem os sentimentos e as expectativas.

Um obrigado sincero e uma saudação cordial dirijo a todos vós, cidadãos da bonita e querida Rímini, como também a vós, hóspedes provenientes de várias partes da Itália e do mundo, que viestes procurar descanso nas alegres praias desta terra.

É grande a minha alegria por esta visita que, mesmo na sua brevidade, me permite trazer-vos pessoalmente o testemunho do meu afecto e recolher, ao mesmo tempo, da vossa parte a directa expressão dos vossos desejos, das vossas esperanças e das vossas ansiedades. Estimula-me a isto a universal missão de Pastor, que por Cristo me foi confiada: por ela sinto-me devedor para com todos (cf. Rom 1, 14), já que sei que a todos Cristo quer atingir com uma palavra especial de amizade e com uma especial proposta de salvação.

Movido por estes sentimentos venho a vós com ânimo confiante, conhecendo bem as nobres tradições e os acontecimentos singulares, característicos da vossa história tanto civil como religiosa.

2. Ponto de chegada da Via Flamínia e estação de partida da Via Emília, Rímini foi, já na época romana, importante centro político e militar, como testemunham, além da rica documentação epigráfica e dos numerosos documentos arqueológicos, o solene Arco e a majestosa ponte que são dedicados aos imperadores Augusto e Tibério.

Nem menor brilho conheceu ela nos séculos seguintes, atingindo grande prosperidade no período das livres Comunas, e, mais tarde, na Senhoria Malatestiana.

História rica de factos e figuras importantes é também a da Igreja de Rímini, cujas origens antigas são ilustradas por personalidades notáveis e, nos séculos seguintes, viu manifestar-se um florescimento de Beatos e de Santos, de pastores ilustres pelo zelo e pela doutrina, que honram de maneira extraordinária a cátedra de São Gaudêncio: dos fiéis exemplarmente empenhados, com forte e perspicaz acção, no campo social e político. Um sinal eloquente, entre os outros, da vivacidade religiosa dos vossos antepassados — os habitantes de Rímini — é constituído por numerosos edifícios sagrados — entre esses brilha o Templo malatestiano, pérola da arte do Renascimento — que nas diversas épocas da história surgiram tanto na cidade como nos campos vizinhos, e permanecem como testemunho do vivo sentido de Deus, pelo qual nunca deixou de ser animada a vida da grande maioria do vosso povo.

3. A minha visita à vossa Cidade deseja ser um reconhecimento destes valores humanos e cristãos, pelos quais a vossa Comunidade sempre se distinguiu. Ao mesmo tempo, desejo e peço que o encontro convosco seja capaz — como instrumento da Providência — de suscitar e confirmar o vigor de uma adesão quotidiana aos valores evangélicos, sobre os quais não só se funda a relação pessoal com Deus, mas aos quais vai buscar incremento e solidez o sistema mesmo das relações civis e sociais, que a intima verdade sobre o homem impele para horizontes sempre mais vastos de leal colaboração e de operosa concordância, no respeito dos transcendentais ideais da família, do trabalho e da fé religiosa.

A minha visita tem do mesmo modo por finalidade o encontro, infelizmente fugaz, com os numerosos hóspedes que enchem a vossa cidade no período estivo; e também de levar a minha cordial saudação aos participantes de uma iniciativa que surgiu aqui e este ano atingiu à sua terceira edição: o encontro para a amizade entre os povos.

Entrando na vossa Cidade, ao mesmo tempo que exprimo o meu apreço pelo empenho a fim de que Rímini — como revelou o Senhor Presidente da Câmara — se afirme sempre mais como cidade de paz e de amizade, convido-vos ao optimismo e à esperança: à luz do vosso passado glorioso, cidadãos de Rimini, sabei olhar com confiança e coragem para o vosso futuro, empenhando-vos responsavelmente no desempenho dos vossos deveres tanto religiosos como civis, seguros de que a uma semelhante atitude de activa dedicação não pode faltar o conforto da assistência divina, que de coração invoco sobre vós, sobre as vossas famílias e, em particular, sobre os vossos filhinhos, nos olhos inocentes dos quais se espelha, com esperançosas promessas, o futuro da vossa Comunidade.

 

© Copyright 1982 - Libreria Editrice Vaticana

 

top