The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
AOS PEREGRINOS POLACOS OUVINTES
DA
«RÁDIO MARIA» REUNIDOS
NA PRAÇA DE SÃO PEDRO

16 de Outubro de 1997

 

1. Sinto-me feliz por que os ouvintes da Rádio Maria vieram em peregrinação à Cidade Eterna, para visitar os túmulos dos Apóstolos e encontrar-se com o Papa, desta vez no aniversário da sua eleição à Sede de São Pedro. Saúdo-vos cordialmente. Saúdo também D. Andrzej Suski que, como representante da Conferência Episcopal Polaca, vos acompanha nesta peregrinação. No território da sua Diocese, em Toruñ, tem sede a redacção da Rádio Maria. A sua presença neste dia constitui a expressão da solicitude do Episcopado pelos meios de comunicação social na Polónia. Saúdo o Padre Director da Rádio Maria e os seus Colaboradores. Agradeço a fadiga desta peregrinação e este encontro, as vossas orações e, de modo especial, os dons espirituais que são um eficaz apoio ao Papa no seu ministerium petrinum. Estou grato, de modo particular, àquelas nossas irmãs e irmãos que oferecem os seus sofrimentos pela Igreja. Deus lhes recompense! Transmiti, além disso, o meu agradecimento àqueles que não puderam vir hoje à Praça de São Pedro: saudai as vossas famílias, os vossos entes queridos, os doentes e as pessoas anciãs. Saudai todos os ouvintes da Rádio Maria na Polónia e no estrangeiro.

2. O Concílio Ecuménico Vaticano II, no Decreto sobre os meios de comunicação social, ensina: «A Igreja católica, fundada por Nosso Senhor Jesus Cristo para levar a salvação a todos os homens, e por isso mesmo obrigada a evangelizar, considera seu dever pregar a mensagem de salvação, servindo-se dos meios de comunicação social, e ensina os homens a usar rectamente estes meios» (n. 3).

A Igreja não teme os meios de comunicação social, ao contrário, tem necessidade deles para a sua missão salvífica, isto é, para a evangelização. E o que é a evangelização É anunciar à humanidade a Boa Nova de Cristo que, com a Sua morte e a Sua ressurreição, redimiu todos os homens. Os meios de comunicação usados de modo correcto prestam um grande serviço aos homens. Devem, todavia, transmitir uma informação precisa e honesta, de acordo com a verdade, e devem também enriquecer o espírito, cuidando da formação religiosa e moral dos seus destinatários. Ao aperfeiçoarem as consciências humanas, contribuem desse modo para o bem comum, para o desenvolvimento de toda a sociedade e da nação inteira.

A rádio é um dos meios de comunicação social de mais larga difusão. É motivo de alegria, portanto, o facto que na Polónia, nos últimos anos, tenham surgido numerosos centros de radiodifusão católica dirigidos pelas Dioceses, Paróquias, Ordens religiosas e Associações. Desejo exprimir o meu grande reconhecimento aos leigos e aos membros do clero que põem à disposição muitos talentos, muita fadiga e muito tempo a fim de criarem os programas para a rádio e os transmitirem.

Entre estas emissoras na Polónia, a Rádio Maria é muito popular. É grande a contribuição que a vossa emissora oferece à obra evangelizadora. Graças às suas transmissões o pensamento sobre Deus atinge muitas pessoas e muitos ambientes na Polónia, e também fora dos seus confins e noutros continentes.

Oração e catequese são os dois elementos essenciais que distinguem uma rádio católica das outras. Alegro-me pela sua presença na Rádio Maria. Hoje, quereria pôr em evidência de modo particular a oração. A oração, com efeito, está no início da evangelização. É uma silenciosa mas eficaz fonte, da qual brota a força para dar testemunho. A vossa presença tão numerosa aqui é, entre outras coisas, fruto desse apostolado. Através das ondas da Rádio Maria são transmitidas a Santa Missa e também muitas orações profundamente arraigadas na nossa piedade polaca. Poder-se-iam mencionar aqui a recitação do Rosário, a pequena coroa em honra da Misericórdia divina, o «Angelus», o Pequeno Ofício em honra da Imaculada Conceição de Maria Santíssima, assim como a oração litúrgica das horas. É louvável que na Rádio Maria se ore e se ensine a oração aos ouvintes, mostrando como é grande a necessidade que dela têm o homem contemporâneo, a família, a Igreja e o mundo. Na vida de piedade, na vida moral e no apostolado, a oração é insubstituível. São Paulo escreve: «Orai incessantemente» (1 Ts 5, 17), «Perseverai na oração» (Cl 4, 2).

Alguns dias após a eleição à sede de São Pedro, fui ao Santuário mariano de Mentorella, nos arredores de Roma, e ali falei aos peregrinos sobre a necessidade da oração na vida cristã. Disse, então, que «a Igreja ora, a Igreja quer orar, deseja estar ao serviço do dom mais simples e ao mesmo tempo esplêndido do espírito humano, que se exprime na oração. A oração é, de facto, a primeira expressão da verdade interior do homem, a primeira condição da autêntica liberdade do espírito... A oração dá sentido à vida inteira, em cada momento seu e em qualquer circunstância» (29 de Outubro de 1978, L’Osserv. Rom., ed. port. de 5/11/1978, pág. 12).

Estou contente porque hoje, após dezanove anos de serviço — no ministério petrino — à Igreja e ao mundo, posso compartilhar convosco esta recordação. Exorto-vos a perseverar na oração e no apostolado animado pela oração.

Hoje, na vida de piedade e na vida social, na vida de muitas pessoas e nações há uma particular necessidade deste apostolado. A oração torna sensível a consciência do homem aos essenciais valores da verdade, da justiça, do amor e da paz. Estes valores estão nas vicissitudes de uma nação, como o sal e a luz: só eles podem dar sabor à «terra» dos corações e iluminar a mente, tornando o mundo mais humano e mais divino. Agradeço à Rádio Maria este apostolado da oração, e também a oração segundo as intenções do Papa. Ao mesmo tempo peço: alimentai este espírito de oração. Por isto estou grato também a todas as outras emissoras de rádio católicas da Polónia.

Vós cumpris a grande missão de anunciar o Evangelho «a todas as criaturas ». Sede semelhantes ao semeador evangélico, que saiu para semear. E enquanto semeava, uma parte caiu ao longo do caminho, uma outra entre as pedras, outra ainda entre os espinhos, e outra, por fim, caiu na terra boa e deu fruto (cf. Mc 4, 2-8). Esta semente é a Palavra de Deus, anunciada também através das ondas da rádio a todos aqueles que a querem escutar e haurir dela a força. A catequese que realizais é um serviço à Igreja e à sociedade.

3. Meus caros, a vossa actividade é um serviço à Igreja. Este comporta para vós a grande responsabilidade de colaborar fielmente com os Bispos, em espírito de comunhão eclesial e de amor cristão, para fazer com que cresça o Corpo de Cristo, isto é, a Igreja. Possa o Evangelho na Polónia ser anunciado, em uníssono com a voz da Igreja, edificada sobre o fundamento dos Apóstolos, e esta unidade de acção seja ao mesmo tempo o testemunho da vossa dedicação e fidelidade a Cristo.

Suplico ao Espírito Santo, por intercessão da Santíssima Mãe, as graças necessárias para esta grande obra de evangelização. De todo o coração abençoo- vos, a vós aqui presentes, às vossas famílias e aos vossos entes queridos, aos colaboradores sacerdotes e leigos da Rádio Maria, aos voluntários e a todos os que anunciam através das ondas da rádio, «até aos confins do mundo» (Act 1, 8), a mensagem evangélica da verdade e do amor.

 

 

top