The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
APÓS UMA REPRESENTAÇÃO TEATRAL
 SOBRE SANTA TERESA DE LISIEUX

Domingo, 23 de Agosto de 1998

 

Queridos amigos

Saúdo e agradeço a todos, em primeiro lugar aos três actores do espectáculo sobre Teresa do Menino Jesus e da Santa Face, Doutora da Igreja, bem como àqueles que contribuíram para a sua realização. Eles oferecem-nos a ocasião de meditar sobre a obra da Santa de Lisieux, Mestra de vida espiritual e padroeira das missões. Teresa mesma apreciava a arte teatral e a poesia, transmitindo assim a mensagem do seu divino Salvador, não desejando em toda a sua existência «senão a honra e a glória de nosso Senhor» (A missão de Joana d'Arc, 10 r.).

Alegro-me pelo facto daquela que passou a sua vida no segredo do Carmelo ser cada vez melhor conhecida e continuar a indicar o caminho do Senhor, graças à sua maturidade espiritual e à certeza da sua doutrina. Formulo votos por que, mediante a arte, numerosas pessoas tenham a oportunidade, no seguimento da pequena Carmelita, de descobrir Aquele que é o caminho, a verdade e a vida, e de ser atraídas por Ele, para O amar com todo o coração, uma vez que «o amor atrai o amor» (Manuscrito C, 34 r.), para viver o Evangelho todos os dias e servir os próprios irmãos.

Saúdo de igual modo todos aqueles que participaram nesta representação, de modo especial o Padre Abade e os Sacerdotes da Congregação de São Víctor, da Confederação dos Cónegos Regulares de Santo Agostinho. Convido todos vós a renovar incessantemente, como Teresa, o acto de oferenda ao Amor misericordioso desejando, não obstante a debilidade humana, amar e fazer amar a Deus, colocando-se humildemente nas suas mãos como criancinhas, a fim de cumprir cada dia a sua vontade. A todos concedo do íntimo do coração a Bênção Apostólica.

 

 

 

 

top