The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
POR OCASIÃO DO CAPÍTULO GERAL
DA CONGREGAÇÃO DAS IRMÃS DE SANTA ISABEL

14 de Novembro de 1998

 

 

Caríssimas Irmãs!

1. A todas vós as minhas boas-vindas e o agradecimento cordial por esta visita, com a qual quisestes testemunhar generosa e profunda fidelidade à Pessoa e ao Magistério do Sucessor de Pedro, no decurso do vosso vigésimo primeiro Capítulo Geral. Desejo dirigir uma particular saudação à Madre Margarida Wisniewska, a quem apresento também as minhas felicitações pela reeleição a Superiora- Geral: possa com a ajuda de Deus continuar a guiar as Coirmãs com competência e sabedoria, rumo à fidelidade sempre mais intensa ao carisma originário e a novas metas de generoso serviço em prol dos mais pobres.

O meu pensamento estende-se, além de às Capitulares, à inteira Família religiosa das Irmãs de Santa Isabel, que em numerosas Nações do mundo são, com dedicação admirável, especial sinal da ternura de Deus para com os irmãos necessitados e doentes, oferecendo um testemunho concreto do mistério da Igreja, virgem, esposa e mãe. Desejo também encorajar os membros da Comunidade Apostólica de Santa Isabel que, vivendo intensamente a sua consagração baptismal, compartilham o carisma e a missão da Congregação, tornando presente com a vida e o trabalho o amor misericordioso de Deus.

A vossa Congregação nasceu da fé e do coração de quatro mulheres da cidadezinha polaca de Nysa, então pertencente à Alemanha, que em 1842 diante das necessidades dos mais indigentes se sentiram chamadas a doar-se com cora- ção indiviso a Cristo, para despender todas as suas energias ao serviço do seu Reino de amor.

Neste seu propósito elas, referindo-se ao ícone do bom samaritano e pondo-se sob a especial protecção do Coração Santíssimo de Jesus, tomaram como modelo uma mulher repleta de amor por Deus e pelos necessitados do seu tempo, Santa Isabel da Hungria, a quem quiseram como especial padroeira do Instituto que surgia.

2. Caríssimas Irmãs! Os ensinamentos e exemplos dos Santos encorajam os crentes a porem-se na via da perfeição evangélica, para anunciar com entusiasmo o Reino de Deus e testemunhar o Evangelho com uma vida totalmente doada ao Senhor. Por esse motivo, na Exortação Apostólica Vita consecrata eu recordava que «os Institutos são convidados a repropor corajosamente o espírito de iniciativa, a criatividade e a santidade dos fundadores e fundadoras, como resposta aos sinais dos tempos visíveis no mundo de hoje. Este convite é, primariamente, um apelo à perseverança no caminho da santidade, através das dificuldades materiais e espirituais que marcam as vicissitudes diárias. Mas é, também, um apelo a conseguir a competência no próprio trabalho e a cultivar uma fidelidade dinâmica à própria missão, adaptando, quando for necessário, as suas formas às novas situações e às várias necessidades, com plena docilidade à inspiração divina e ao discernimento eclesial. Contudo, há que manter viva a convicção de que a garantia de toda a renovação, que pretenda permanecer fiel à inspiração originária, está na busca de uma conformidade cada vez mais plena com o Senhor» (n. 37).

Também vós, sustentadas pela recordação sempre viva das vossas Fundadoras, nestes dias de Reunião capitular vos pusestes à escuta do Espírito Santo, para lerdes com sabedoria os sinais dos tempos e responderdes com fidelidade criativa aos desafios que vos são apresentados neste final de século e de milénio.

Conscientes de que a vida religiosa «pertence indiscutivelmente à vida e à santidade da Igreja» (Ibid., 29) e «anuncia e de certo modo antecipa o tempo futuro» (Ibid., 32), empreendestes um processo de corajosa renovação para viver de maneira mais intensa a maternidade «segundo o Espírito» (cf. Rm 8, 4) no cuidado dos pobres, dos doentes e dos marginalizados, na educação cristã da infância e da juventude e na formação religiosa dos adultos (cf. Carta Apost. Mulieris dignitatem, 21).

3. «Sempre que fizestes isto a um destes Meus irmãos mais pequeninos, a Mim mesmo o fizestes» (Mt 25, 40). Nestas palavras do Senhor, individuastes a meta e o programa do vosso viver como consagradas e a motivação da actualização da vida comunitária e do empenhamento apostólico.

Com efeito, a possibilidade de uma renovada fidelidade ao carisma das origens funda-se, antes de tudo, na atenta e humilde escuta do Senhor e na capacidade de divisar nos irmãos o rosto de Jesus, servindo assim o Reino de Deus.

No decurso dos trabalhos capitulares, ressaltastes justamente uma mais viva compreensão da Palavra revelada, para que ilumine e guie a vida comunitária e a torne rica de contemplação, de significado de oblação generosa, de partilha jubilosa e de caridade recíproca.

O quotidiano confronto com as rápidas e profundas transformações que se verificam na sociedade hodierna e com uma cultura que, embora secularizada, é porém sensível ao testemunho dos crentes autênticos, impele-vos a desenvolver de modo particular a dimensão missionária, já ínsita no vosso carisma e a interrogar-vos sobre o modo de acolher esses desafios sociais e religiosos.

O anélito de maior fidelidade ao carisma das Fundadoras e de ardente empenho missionário não pode deixar de vos conduzir a um esforço de correspondência cada vez mais generosa à graça da vocação. Isto supõe uma cuidadosa formação, estendida a todas as fases da vida religiosa, com o objectivo de preparar pessoas amadurecidas e coerentes, que saibam levar a mensagem de Cristo entre as modernas pobrezas físicas e espirituais, curando as feridas e difundindo esperança. Para os doentes, os idosos, os pequeninos e quantos são atingidos por inúmeras formas de marginalização, presentes também nos Países mais avançados, as vossas comunidades sejam lugares de acolhimento e casas da misericórdia.

4. Caríssimas Irmãs! Confio cada uma de vós e a vossa inteira Família religiosa à materna protecção da Virgem Santa e formulo votos por que o Capítulo saiba fazer reviver, já no limiar de um novo milénio, o ardor e a fé das vossas Fundadoras e o empenho caridoso da vossa celeste Padroeira.

Com estes bons votos, invoco as recompensas celestes sobre as vossas pessoas, sobre o vosso serviço quotidiano e projectos de bem, assim como sobre os leigos que compartilham o vosso carisma e missão e sobre quantos encontrardes no vosso caminho, a todos concedendo de coração a Bênção Apostólica

 

 

 

top