The Holy See
back up
Search
riga

 DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
ÀS IRMÃS TERCIÁRIAS CAPUCHINHAS
DA SAGRADA FAMÍLIA POR OCASIÃO
DO XIX CAPÍTULO GERAL

31 de Outubro de 1998

 

É para mim muito grato acolher-vos no final do XIX Capítulo Geral, no qual reflectistes sobre a presença e a acção do Espírito Santo na própria vida, para serdes «mulheres do Espírito», segundo o estilo franciscano do vosso Fundador, o Venerável Luís Amigó y Ferrer, e oferecerdes assim ao mundo de hoje novas expressões de vivência cristã e de audácia no serviço. Nesta ocasião, dirijo a minha mais cordial saudação a cada uma de vós e, por vosso intermédio, a todas as Irmãs da Congregação que nas diversas casas da Europa, América, Ásia e África tornais presente a dimensão esponsal da Igreja e a sua maternidade virginal, colaborando com a vossa dedicação incondicional e a vossa presença discreta, mas fecunda, na construção de uma humanidade melhor.

A Igreja tem em grande estima o contributo específico que, como consagradas, ofereceis às tarefas da nova evangelização. Ao abraçardes a castidade, pobreza e obediência de Jesus, converteis-vos, de certo modo, numa prolongação da Sua humanidade e dais testemunho profético da primazia de Deus e dos bens futuros na sociedade actual, na qual se parece ter perdido o rosto do divino (cf. Vita consecrata, 85).

Diante dos novos desafios que o Terceiro Milénio apresenta à vida religiosa, a vossa consagração e missão devem guiar-se pelo discernimento sobrenatural, que sabe distinguir entre o que vem do Espírito e o que Lhe é contrário (cf. Gl 5, 16-22). Só a partir deste dinamismo de fidelidade ao Espírito é que podereis actuar, de maneira eficaz, nos respectivos campos do próprio carisma de fundação, levando no coração e na oração as múltiplas necessidades dos homens e mulheres do nosso tempo.

Ao animar-vos no vosso elogiável trabalho educativo, ajudando as crianças e os jovens com dificuldades a crescerem em humanidade sob a guia do Espírito, invoco sobre o inteiro Instituto a protecção da Sagrada Família de Nazaré, para que vos sustente sempre na vida religiosa. Com estes sentimentos, concedo-vos de coração a Bênção Apostólica, que de bom grado faço extensiva a todas as Irmãs da Congregação, assim como àqueles que colaboram convosco nos diversos apostolados.

 

 

 

 

top