The Holy See
back up
Search
riga

MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II 
AO INSTITUTO DAS FILHAS DE SÃO JOSÉ 
DO CABURLOTTO POR OCASIÃO 
DO XXIII CAPÍTULO GERAL

 

Queridas Irmãs do Instituto
Filhas de São José do Caburlotto!

1. Saúdo-vos com afecto, por ocasião do XXIII Capítulo Geral da vossa Congregação. A assembleia capitular realiza-se na vigília do ano 2000, que assinalará os 150 anos de fundação da vossa Família religiosa. Nesta circunstância, quereria exprimir-vos gratidão e apreço pelo serviço apostólico que prestais à Igreja. Ao mesmo tempo, quereria aproveitar a ocasião para reflectir juntamente convosco sobre a vossa missão, no contexto das experiências que se acumularam no decurso dos anos. 

Um grato pensamento dirige-se, antes de tudo, ao Venerável Fundador, Mons. Luigi Caburlotto, cujas virtudes heróicas foram por mim reconhecidas com decreto de 2 de Julho de 1994. Ele deixou-se conduzir, em tempos difíceis, pelo apelo evangélico a fazer-se educador, pai das crianças e dos jovens provados pela pobreza e o abandono. A experiência ensinara-lhe quanto são importantes a educação e a instrução escolar, também em vista da evangelização. Por isso, dedicou-se com incansável zelo à fundação de escolas populares e de institutos de formação, sem transcurar a colaboração com as instituições públicas. 

2. Fiéis ao mandato do vosso Fundador, para o próximo Capítulo escolhestes como tema de reflexão: «Carisma de fundação e Regra de vida». Quereis assim examinar de novo, à luz do Magistério da Igreja, o património espiritual, pedagógico e missionário herdado de um passado mais que secular. As condições sociais dos países em que actuais, a crise das vocações, as problemáticas conexas com as legislações escolares e a educação dos menores impõem-vos uma profunda reflexão em termos de formação, de mentalidade, de linguagem e de opções apostólicas.

Olhando para o caminho percorrido, sentis necessidade de dar graças a Deus pelo bem realizado no vosso Instituto e pelos frutos apostólicos que enriqueceram as fases da sua história. Ao mesmo tempo, a consciência dos desafios do presente impele-vos a fazer das Constituições, do Directório espiritual e do Directório normativo o objecto da vossa meditação e de um estudo sistemático, para recuperar com toda a sua força a espiritualidade típica do Instituto. Preciosa será, a este respeito, a leitura dos escritos do Venerável Fundador, património que pertence a todas as Coirmãs e constitui uma guia segura para o futuro. 

3. Com a Assembleia capitular preparais-vos para dar um ulterior passo, mais importante do que nunca: a nova redacção da vossa Regra de vida, em obediente escuta da voz do Magistério, que reconhece o carisma dos Fundadores. A particular experiência do Espírito feita pelo Fundador foi por ele transmitida a vós, para que fosse desenvolvida constantemente, em dócil adesão às directrizes da Igreja e com atenta análise dos sinais dos tempos. Com efeito, essa preciosa herança configura-se como um peculiar modo de viver os conselhos evangélicos, um concreto estilo de vida espiritual, uma particular forma de apostolado, uma característica experiência comunitária, uma específica inserção no mundo. 

A vossa Família religiosa, tendo amadurecido uma consciência sempre maior da própria identidade apostólica, agora tem em vista reformular o radicalismo das próprias origens. Nesta perspectiva, no Capítulo Geral propondes-vos proceder a uma nova redacção da Regra de vida, que faça emergir com mais evidência a fisionomia apostólica das Filhas de São José do Caburlotto para o terceiro milénio. 

De coração faço votos por que deste esforço surja uma apresentação, sempre mais orgânica, do vosso carisma específico, nas suas componentes espirituais, comunitárias e apostólicas. Não faltará, em particular, uma explícita referência ao mistério da Encarnação contemplado em Nazaré, do qual deriva aquela típica «devoção do coração», que sintetiza o vosso específico estilo de oração.

4. Aproveitando este encontro, desejo dirigir a todas vós, Filhas de São José do Caburlotto, uma palavra de cordial encorajamento. Sabei viver e propor a vossa consagração religiosa como um bem para a pessoa humana, testemunhando em todos os momentos uma radical fidelidade ao carisma educativo. Seja profunda em cada uma de vós a abertura missionária, em apoio às vossas Irmãs empenhadas nas fronteiras da missão «ad gentes». Orai incessantemente, para que o Senhor envie muitas e santas vocações ao Instituto. A oração seja confortada pela oferta dos sofrimentos quotidianos. De maneira especial, penso nas vossas Irmãs idosas e doentes, que com os seus sofrimentos constituem um precioso apoio espiritual para a Congregação.

Reine entre vós, Irmãs de diferentes origens e idades, o amor constante, que brota do coração de Cristo. Sede sinal eloquente desta caridade divina, com a vida e as actividades quotidianas. Jamais o vosso olhar se afaste de Cristo que, no mistério pascal, nos revela a misericórdia do Pai celeste. A cada uma Ele repete: «Nada temas, porque Eu te resgatei, e te chamei pelo teu nome; tu Me pertences» (Is 43, 1). E então, tendo feito experiência de ser por Ele amadas com um amor sem limites, sede prontas e desejosas de compartilhar com os outros esta mesma riqueza espiritual. O amor de Cristo, que há 150 anos inspirou o vosso Fundador e vos sustentou até agora, a vós e às vossas Irmãs, seja sempre o centro da vossa existência. 

Maria, a celeste Mãe de Deus e da Igreja, vos proteja e torne frutuosos os trabalhos do vosso Capítulo Geral. Asseguro, da minha parte, uma constante lembrança na oração, enquanto de bom grado abençoo a Madre-Geral, as Capitulares e todas as Religiosas do vosso Instituto.

Vaticano, 30 de Junho de 1999.

PAPA JOÃO PAULO II

 

© Copyright 1999 - Libreria Editrice Vaticana

 

top