The Holy See
back up
Search
riga

MENSAGEM DO PAPA JOÃO PAULO II
POR OCASIÃO DO ENCONTRO
"IGREJAS IRMÃS, POVOS IRMÃOS"
 REALIZADO EM GÉNOVA

 

Ao venerado Irmão
Cardeal EDWARD I. CASSIDY
Presidente do Pontifício Conselho
para a Promoção da Unidade dos Cristãos

Sinto-me particularmente feliz por transmitir a minha saudação aos ilustres representantes das Igrejas e Confissões cristãs que participam no encontro "Igrejas irmãs, Povos irmãos". Essa assembleia coloca-se idealmente na esteira daquela de Assis, que continua a produzir preciosos frutos de paz e de diálogo, tanto entre os cristãos como entre os membros das outras grandes religiões mundiais. Agradeço à Comunidade de Santo Egídio que, com coragem e audácia, sustém esta singular peregrinação que continua a percorrer diversas cidades do mundo para que os homens e as mulheres se descubram irmãos e irmãs, membros da mesma família humana.

Na Assembleia inter-religiosa que se realizou no mês de Outubro passado no Vaticano, ao dirigir-me aos cristãos, dizia:  "Aqueles de entre nós que são cristãos acreditam que tal esperança é um dom do Espírito Santo, que nos chama a alargar os nossos horizontes, a olhar para além das nossas necessidades pessoais e das carências das nossas comunidades particulares, tendo em vista a unidade de toda a família humana... Desta consciência espiritual brotam a compaixão e a generosidade, a humildade e a modéstia, a coragem e a perseverança. Estas são as qualidades de que a humanidade tem necessidade mais do que nunca, enquanto entra no novo milénio" (L'Osservatore Romano, ed. port. de 20/11/99, pág. 10). Por isso, estou particularmente feliz por que em Génova se realiza esta assembleia de cristãos, para reflectirem e fortalecerem o empenho em continuar no caminho da unidade.

Quereria saudar, antes de tudo, os Patriarcas e os representantes das diversas Igrejas do Oriente ali reunidos. A sua presença, juntamente com a dos representantes da Igreja católica, serve de conforto e de estímulo para todos. Uno-me de bom grado à oração e aos sentimentos fraternos que pulsam no coração de cada um e, ao mesmo tempo, dão graças a Deus pelos frutos que o diálogo ecuménico produziu nestes últimos anos. Na Encíclica Ut unum sint, ao referir-me de modo particular ao século que está a terminar, eu observava que "foi a primeira vez na história, que a acção em prol da unidade dos cristãos assumiu proporções tão amplas e se estendeu num âmbito tão vasto" (n. 41). Aconteceu que "os cristãos pertencentes a uma confissão já não consideram os outros cristãos como inimigos ou estranhos, mas vêem neles irmãos e irmãs" (Ibid., n. 42).

A fraternidade reencontrada entre os cristãos, de facto, é um dos frutos mais preciosos do diálogo ecuménico. Como canta o Salmista, ela certamente faz-nos saborear a alegria dos irmãos que se encontram juntos (cf. Sl 132 [133] 1), mas torna-nos também mais conscientes da gravidade do pecado da divisão, escândalo para nós e para o mundo. Por isso, não podemos retardar o passo rumo à unidade das Igrejas. Com efeito, todo o atraso arrisca não só de diminuir a alegria fraterna, mas de nos tornar cúmplices das divisões que se estimulam em várias partes da terra. Quanto mais se fortalecer a fraternidade entre as Igrejas, tanto mais os povos serão ajudados a reconhecer-se como irmãos. A fraternidade, de facto, é uma energia que supera qualquer limite e produz os seus frutos para todo o género humano.

Neste espírito, que quis indicar como o "espírito de Assis", desejo saudá-lo, Senhor Cardeal, pedindo-lhe que faça chegar a expressão da minha afectuosa recordação à amada Arquidiocese genovesa e ao seu Arcebispo, Cardeal Dionigi Tettamanzi, assim como à Comunidade de Santo Egídio, que com ela organizou esse encontro. Além disso, dirijo uma cordial saudação a todos os participantes, assegurando-lhes a minha lembrança na oração, para que no amor fraterno possamos cruzar o limiar do novo século como servidores de Cristo e do seu Evangelho. Acompanho estes votos com a Bênção Apostólica.

Vaticano, 11 de Novembro de 1999.

PAPA JOÃO PAULO II

 

© Copyright 1999 - Libreria Editrice Vaticana 

top