The Holy See
back up
Search
riga

PALAVRAS DO PAPA JOÃO PAULO II
DURANTE O HABITUAL ENCONTRO DE SÁBADO
 COM OS PEREGRINOS JUBILARES

Sábado, 23 de setembro de 2000

   


Caríssimos Irmãos e Irmãs

1. É para mim motivo de alegria encontrar-vos nesta Audiência jubilar, que constitui um momento belo e importante da vossa peregrinação a Roma, no contexto do Ano Santo. Provindes de diversas Dioceses, cada uma com a própria história e as suas tradições particulares. Todavia, este nosso estar juntos faz-nos como que tocar com a mão os profundos vínculos de comunhão, que nos tornam irmãos no único Corpo de Cristo que é a Igreja:  o próprio amor que provém da Trindade e anima o povo de Deus, a mesma fé em Jesus Salvador, o idêntico empenho no anúncio do Evangelho. Viestes à Cidade eterna para compartilhar esta forte experiência da reconciliação com Deus e os irmãos. Peço ao Senhor que torne a vossa peregrinação jubilar rica de frutos de bem!

Aos fiéis de Nápoles

2. A minha afectuosa saudação dirige-se, antes de tudo, a vós, caríssimos peregrinos provenientes da Arquidiocese de Nápoles. Agradeço ao vosso Pastor, Cardeal Michele Giordano, que há pouco se fez intérprete dos vossos sentimentos de afecto e de proximidade espiritual. Congratulo-me com todos vós pelo empenho despendido ao preparar-vos para celebrar dignamente este Jubileu e, em particular, por terdes justamente posto no centro da vossa acção pastoral o tema da nova evangelização, valendo-vos da esplêndida iniciativa dos Centros do Evangelho. Não posso deixar de vos encorajar a prosseguir com generosidade no caminho empreendido, esforçando-vos por envolver sempre mais as famílias nesta tarefa missionária, na qual elas têm um papel essencial. A paragem destes dias junto dos Túmulos dos Apóstolos, aprofundando o vínculo de comunhão com a Igreja de Roma, vos ajude a enfrentar com maior coragem e determinação os inevitáveis momentos de dificuldade. A Virgem Maria, que todos vós gostais de invocar com o título de "Nossa Senhora Morena", vos acompanhe sempre com o seu auxílio e a sua materna protecção!

Aos peregrinos de Bréscia

3. As minhas cordiais boas-vindas vão agora para vós, caríssimos Irmãos e Irmãs da Diocese de Bréscia! Saúdo-vos com afecto, dirigindo um fraterno pensamento ao vosso Bispo, D. Giulio Sanguineti, a quem agradeço a calorosa homenagem. Sabeis que celebrar a graça do Jubileu significa, antes de mais, readquirir consciência das raízes da própria fé. Ao longo dos séculos, a experiência cristã produziu uma abundância de frutos na comunidade bresciana, caracterizados por uma particular atenção aos problemas da sociedade sob os vários aspectos. Desta animação da vida social mediante o fermento evangélico, permanecem os luminosos testemunhos de sacerdotes, religiosos e leigos, autênticos campeões de um cristianismo empenhado ante as necessidades do seu tempo. Bréscia pode gloriar-se, em particular, de ter dado à Igreja um Pontífice da estatura de Paulo VI, cuja recordação permanece indelével no coração de todos. Os exemplos destas insignes personalidades devem ser para vós estímulo a responderdes, com grande coragem e generosidade, aos desafios que se apresentam à Igreja do terceiro milénio cristão. Neste Ano jubilar, durante o qual todos somos convidados a voltar às genuínas fontes da nossa fé, sabei viver em profundidade a realidade da comunidade cristã no seu duplo aspecto da comunhão e da missão. São estes os meus votos e, ao mesmo tempo, o empenho que vos confio como fruto da peregrinação jubilar.

Aos diocesanos de Parma

4. Saúdo agora o grupo de peregrinos da Diocese de Parma, acompanhados pelo Bispo D. Sílvio Cesare Bonicelli, a quem agradeço as afectuosas palavras que me dirigiu. O Jubileu, como a própria palavra diz, é antes de tudo um momento de alegria e de partilha. Neste tempo santo a Igreja alegra-se pela abundância de graça e de misericórdia que Deus derrama sobre todos os que dispõem a própria alma à reconciliação e à renovação interior. O Jubileu seja para vós, caríssimos, um momento forte do vosso caminho eclesial, do qual brota um renovado impulso para a evangelização. Estar reconciliados com Deus e com os irmãos é condição essencial para a eficácia do anúncio evangélico, pois não há missão cristã que não nasça de uma profunda experiência de comunhão com Deus e o próximo. Faço votos por que possais viver, neste tempo jubilar, o profundo mistério da Igreja, que é mistério de comunhão e ao mesmo tempo de missão.

À Arquidiocese de Lucca

5. Dirijo-me agora a vós, caríssimos Irmãos e Irmãs da Arquidiocese de Lucca, vindos a Roma em peregrinação jubilar acompanhados do vosso Arcebispo Bruno Tommasi, cuja saudação escutei agradecido. A vossa Diocese é atravessada pela antiga "Via Francigena", que tradicionalmente era percorrida pelos romeiros no seu itinerário em direcção aos Túmulos dos Apóstolos. Isto contribuiu para fazer crescer a vossa tradicional hospitalidade e acolhimento fraternos, que ainda hoje se exprimem em múltiplas formas de voluntariado e de caridade. Tendo como base o grande património de fé e de civilização cristã da vossa terra, sabei renovar também no nosso tempo o empenho de testemunho dos valores evangélicos e a vontade de contribuir de maneira eficaz para a edificação de uma renovada cultura cristã. Ponde sempre Cristo no centro das vossas Comunidades, através da escuta atenta da sua Palavra e da redescoberta da Eucaristia como fonte e ápice de toda a vida eclesial. Ser-vos-á, além disso, de grande ajuda não só o cuidado da formação permanente dos presbíteros, mas também um sempre maior envolvimento dos leigos empenhados nos sectores que estão mais de acordo com o seu estado, no interior da vida pastoral da Comunidade diocesana.

Ao Apostolado da Oração de Barcelona

6. Saúdo agora com afecto os membros do Apostolado da Oração da Diocese de Barcelona, chegados a Roma em peregrinação por causa do Ano jubilar. Recordai que no encontro com Jesus Cristo, por meio da oração, se forja a têmpera apostólica, que tem em vista suscitar um sincero anseio pela santidade. Com a ajuda da graça, esforçai-vos para que a vossa adesão a Cristo e à sua Igreja seja cada vez mais sólida e o vosso testemunho de vida, mais crível. Desta forma, o Ano jubilar será para vós um acontecimento único de "renovação pessoal num clima de oração sempre mais intensa e de solidário acolhimento do próximo" (cf. TMA, 42).

A um grupo de fiéis suíços

7. Estão presentes nesta Audiência especial os participantes na Conferência das "European Cancer Leagues":  ao saudá-los cordialmente, apresento-lhes os mais sentidos votos de profícuo trabalho num sector tão importante para a saúde do ser humano.

Depois, saúdo a representação da Missão católica de língua italiana na Suíça, animada pela Comunidade salesiana de Zurique. Esta peregrinação a Roma e a graça do Jubileu constituem para vós um estímulo a seguir com generosidade sempre maior o exemplo de São João Bosco, nos compromissos de vida cristã e no testemunho de acolhimento e de solidariedade, de modo especial em relação a quantos estão em dificuldade espiritual e material.

Enfim, dirijo um especial pensamento e bons votos aos Alpinos da Secção "Bonate Sopra Bérgamo" e aos outros grupos de peregrinos que, com a sua participação, tornam mais rico e festivo este nosso encontro jubilar.

8. Hoje é sábado, dia tradicionalmente dedicado a Nossa Senhora. Confiemos a Maria a abundância de graça e os compromissos de vida cristã que brotam deste Jubileu. Ela, que com o seu "sim" incondicional à vontade divina ofereceu ao mundo o Salvador, guie e proteja sempre o vosso caminho. Acompanhe-vos também a minha Bênção, que concedo a cada um com afecto e que de bom grado faço extensiva às vossas comunidades e famílias, e a quantos vos são queridos.

 

 

top