The Holy See
back up
Search
riga

 DISCURSO DO SANTO PADRE
A NOVE EMBAIXADORES
POR OCASIÃO DA APRESENTAÇÃO
 DAS SUAS CARTAS CREDENCIAIS

18 de Maio de 2001


Excelências

1. Tenho muito gosto em vos receber no Vaticano, no momento em que me entregais as Cartas que vos acreditam como Embaixadores extraordinários e plenipotenciários dos vossos países:

Nepal, Tunísia, Estónia, Zâmbia, Guiné, Sri Lanka, Mongólia, África do Sul e Gâmbia. A vossa presença dá-me a oportunidade de saudar os vossos Responsáveis políticos e todos aqueles que têm o encargo de servir o bem comum nas funções que lhes estão confiadas. Gostava de saudar cordialmente todos os vossos compatriotas, assegurando-lhes os meus fervorosos pensamentos por sua intenção. Agradeço-vos vivamente as mensagens cordiais de que sois portadores, da parte dos vossos respectivos Chefes de Estado; sinto muito gosto em lhes exprimir, como retribuição, as minhas respeitosas saudações e votos calorosos para as suas pessoas e a alta missão que são chamados a realizar.

2. No decurso da minha peregrinação jubilar seguindo os passos de São Paulo na Grécia, Síria e Malta, segui com atenção os acontecimentos dramáticos que se desenrolavam no Próximo Oriente.

Queria, de novo, aproveitar a presença de um importante número de diplomatas para renovar com um grande vigor o meu apelo em favor da paz em todos os continentes, convidando os Responsáveis da vida social a tomar decisões corajosas que comprometerão os povos de maneira resoluta nos caminhos da paz e da reconciliação. A paz e a segurança das pessoas e das comunidades são bens essenciais. Não se pode considerar que um país construa o seu futuro pondo de parte os povos que o rodeiam ou as diversidades culturais e étnicas que o compõem.

Convém que todas as instâncias locais, nacionais e internacionais se comprometam na resolução dos conflitos que já fizeram demasiadas vítimas inocentes. Neste domínio, é particularmente importante o papel da diplomacia. Faço o apelo do fundo do coração por um compromisso de todos os serviços diplomáticos em favor de uma resolução negociada dos diferentes conflitos e dos focos de tensão existentes nos diversos continentes. Um tal compromisso contribuirá para dar renovada confiança e esperança às populações submetidas desde há muito tempo a situações de instabilidade.

3. No momento em que inaugurais a vossa missão junto da Sé apostólica, apresento-vos os meus cordiais votos. Peço ao Altíssimo que derrame a abundância das suas Bênçãos sobre vós, os membros das vossas famílias, os vossos colaboradores e os habitantes das Nações que representais.

 

© Copyright 2000 - Libreria Editrice Vaticana

top