The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO SANTO PADRE JOÃO PAULO II
AOS PARTICIPANTES NA MISSÃO DIOCESANA
 PARA OS FIÉIS DA AMÉRICA LATINA 
RESIDENTES EM ROMA

Sábado, 13 de Abril de 2002

 
Queridos Irmãos e Irmãs da América Latina em Roma

1. Muito me agrada realizar este encontro, que me dá a oportunidade de vos saudar pessoalmente, por ocasião da Missão na Cidade promovida pela diocese de Roma para as vossas comunidades. Pedistes esta audiência para reafirmar a vossa devoção ao Sucessor de Pedro, bela expressão da fé das vossas Nações de origem. Apresento-vos a todos a minha cordial saudação de boas-vindas. Saúdo de modo particular o Cardeal Vigário Camillo Ruini e agradeço-lhe as amáveis palavras que me dirigiu.

Saúdo e agradeço aos Senhores Cardeais, Arcebispos e Bispos Latino-americanos que quiseram estar presentes, ao Vice-Vigário, aos responsáveis da obra diocesana dos Migrantes e ao Capelão da vossa comunidade, que prepararam e promoveram esta missão, assim como a tantos sacerdotes, religiosos, religiosas e missionários leigos que apoiaram esta iniciativa desde os seus princípios até à sua conclusão.

2. "Vinde a mim todos os que estais cansados e oprimidos e aliviar-vos-ei" (Mt 11, 28).

Este é o suave e firme convite do Salvador, que a missão fez ressoar durante estes meses na alma de todos os imigrantes latino-americanos. O cansaço e o desânimo de quem se sente oprimido, fraco e indefeso, descobrem alívio no encontro de fé com o Senhor, porque Ele carrega com as nossas dores e misérias mais profundas, fazendo renascer o vigor e a esperança para continuar a viver. Aprendendo dele, manso e humilde de coração, e seguindo o caminho do Evangelho, podemos encontrar paz e serenidade mesmo nos momentos mais penosos e difíceis, porque o seu jugo é suave e a sua carga é leve (cf Mt 11, 28-29). Trata-se de uma vivência singular de amor e de misericórdia que vós, queridos irmãos e irmãs latino-americanos, experimentastes muitas vezes nas vossas comunidades de origem, onde a fé em Cristo Salvador marca profundamente a vida pessoal e familiar, assim como a cultura dos vossos Países.

Conservai com zelo, testemunhando-o também aqui, na terra de imigração, o apego ao vosso património de fé e de cultura, rico de valores espirituais e de tradições religiosas que se expressam no cântico e nas festas, na dança e no modo de vestir, nas peregrinações e na devoção popular às imagens do Senhor, da Virgem e dos Santos Padroeiros, como manifestastes com grande alegria e unidade durante esta missão.

Eu mesmo, na ocasião das minhas visitas aos vossos Países do querido Continente latino-americano, pude experimentar directamente o calor, o entusisasmo e a alegria que a fé católica desencadeia no coração das pessoas, das famílias e dos jovens.

Este é o tesouro mais precioso que cada um de vós possui no mais íntimo de si mesmo e que dá coesão à vossa unidade e solidariedade. A missão repetiu-o com força a todos os latino-americanos através do generoso compromisso dos missionários sacerdotes, religiosos, religiosas e leigos que levaram o Evangelho de Marcos às casas, aos cárceres e hospitais, pelas ruas e a qualquer lugar onde poderia encontrar-se um irmão ou uma irmã emigrado.

Agradeço-lhes de todo o coração, ao mesmo tempo que os convido a prosseguir com entusiasmo esta obra de estreita aproximação de todos os compatriotas, para fazer sentir a cada um deles o amor de Cristo e o abraço materno da Igreja, oferecendo-lhes a possibilidade de fortalecer a fé e a solidariedade com a própria comunidade étnica presente na Cidade.

A missão prestou uma particular atenção aos jovens, a quem me dirijo para os convidar a que se façam promotores da evangelização entre os seus coetâneos e na sua comunidade. Renovo também para vós, queridos jovens latino-americanos, o convite do Senhor que preside à próxima Jornada mundial de Toronto:  sede o sal da terra e a luz do mundo! Juntamente com os jovens da Diocese, esforçai-vos por manter vivo o anúncio do Evangelho na cidade e no mundo juvenil, dando testemunho da alegria que nasce do encontro com Jesus Cristo e com a sua Igreja.

3. A missão pôde aproveitar o apoio eficaz dos centros pastorais que desde há anos trabalham na cidade e que procuram atender as necessidades espirituais e humanas dos imigrantes, promovendo a catequese, as celebrações litúrgicas e sacramentais e oferecendo todo o tipo de ajuda necessária para enfrentar as dificuldades que o imigrante encontra para satisfazer as suas necessidades primárias, desde o trabalho à casa ou o serviço de saúde. Estes centros surgiram principalmente no seio de Paróquias onde os párocos e sacerdotes diligentes abriram generosamente as portas da comunidade a tantos irmãos e irmãs imigrantes, dando-lhes hospitalidade e apoio material e espiritual.

A missão quis valorizar estes centros que espero que se multipliquem, favorecendo a necessária integração das vossas comunidades étnicas nas comunidades cristãs e civis de Roma, para um mútuo intercâmbio de dons espirituais e culturais. A vossa presença e o vosso serviço é muito apreciado pelo empenho com que realizais o vosso trabalho, especialmente com tantos idosos, nas casas ou noutros âmbitos da vida social.

Faço os melhores votos para que a missão faça crescer este espírito de acolhimento e de mútua comunhão, e que cada imigrado seja considerado não como estrangeiro ou hóspede, mas como pessoa portadora de valores humanos, culturais e religiosos que enriquecem a sociedade e a Igreja local. Para isso, é preciso que se reconheçam a cada um os direitos fundamentais de cada pessoa e, em particular, a possibilidade da reunificação familiar e o conjunto de condições de vida e de trabalho necessárias para ter uma existência digna e serena na sociedade.

4. Vinde a mim... e eu vos aliviarei.

Sim, queridos irmãos e irmãs latino-americanos, acolhamos com alegria o convite do Senhor. Acorramos a Ele sem temor e com confiança. Confirmemos que só Ele é a nossa esperança. Levemos a todos, com o anúncio e o testemunho, esta consoladora palavra do Salvador, sobretudo aos que, longe da sua terra e da sua família, sofrem situações de desorientação e de desânimo no campo da fé e da vida cristã. Que a missão prossiga o seu compromisso de manter viva no coração de cada irmão e irmã imigrados a fé em Cristo, a luz do seu Evangelho, a solidariedade com os mais pobres e necessitados, a vontade de consolidadr a comunhão e a unidade entre todos os latino-americanos e as comunidades cristãs da cidade.

Confiemos os frutos da missão à Virgem Maria, Senhora de Guadalupe, doce mãe de todos os latino-americanos, Senhora e padroeira do Continente.

 

 

 

top