The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
AO INSTITUTO PARA AS CIÊNCIAS HUMANAS DE VIENA

Sábado, 26 de Outubro de 2002

 

 


Senhoras e Senhores
Queridos Amigos

No momento em que o Instituto para as Ciências Humanas celebra o XX aniversário de fundação, é com imenso prazer que me encontro convosco, aqui no Vaticano. Saúdo de maneira especial Sua Ex.cia o Professor Krzysztof Michalski, um dos membros fundadores do Instituto, que hoje está aqui presente connosco. O nosso encontro oferece-me a possibilidade de expressar o meu apreço pessoal pelo trabalho do Instituto, que incluiu a organização de oito colóquios memoráveis em Castelgandolfo. Aproveito também esta oportunidade para prestar uma homenagem à memória de Sua Ex.cia o Senhor Jozef Tischner, o saudoso Presidente Fundador do Instituto, que estava profundamente comprometido no seu projecto de promoção de um diálogo sobre o futuro da Europa, aberto às vozes provenientes tanto do Oriente como do Ocidente.

Hoje, vinte anos depois da sua fundação, o Instituto para as Ciências Humanas vive amplamente segundo a visão dos seus fundadores. Os acontecimentos de 1989 e o passo acelerado da unificação da Europa realçaram precisamente a necessidade da análise disciplinada, dos amplos debates e das propostas concretas, que o Instituto tem promovido. Durante estes anos, o Instituto ofereceu uma contribuição significativa para uma formação mais responsável do futuro político, económico, social e cultural do Continente. Exprimo a minha esperança a fim de que, nos anos vindouros, ele continue a evidenciar a dimensão "humana" das imensas possibilidades e desafios que se apresentam à humanidade, no alvorecer deste novo milénio. Em última análise, qualquer solução para a grave crise que a sociedade contemporânea está a enfrentar, e qualquer esforço com vista a criar um futuro mais digno para o homem deverão fundamentar-se na valorização da dignidade natural e na grandeza espiritual de cada ser humano. De igual forma, devem mostrar respeito pela rica variedade de culturas e de valores religiosos, que deram uma expressão histórica à busca de liberdade autêntica e de edificação de um mundo de solidariedade, justiça e paz.

Neste feliz aniversário, formulo os meus sinceros bons votos pela continuação do trabalho do Instituto. Sobre vós e as vossas famílias, invoco cordialmente as Bênçãos divinas da alegria e da paz.

 

 

top