The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
A UM GRUPO DE JOVENS DA ARQUIDIOCESE
DE TRANI-BARLETTA-BISCEGLIE (ITÁLIA)

1 de Fevereiro de 2003

 

 

 
Caríssimos Jovens

1. É com grande alegria que vos acolho, juntamente com o vosso Arcebispo, D. Giovanni Battista Pichierri, e os Sacerdotes que vos acompanham. Estou feliz por vos encontrar:  sede todos bem-vindos!

Com esta peregrinação a Roma, desejais preparar-vos para uma missão especial, promovida pela Comunidade diocesana de Trani-Barletta-Bisceglie, e que verá como protagonistas precisamente os jovens. Trata-se da "Missão dos jovens para os jovens", uma escolha que olha para o futuro e está em sintonia com as indicações dos Bispos italianos, que propõem os jovens e a família como destinatários privilegiados do compromisso pastoral destes anos (cf. Comunicar o Evangelho num mundo em mudança. Orientações pastorais 2001-2010, pp. 51-52).

Os jovens e as famílias constituem o futuro  da  sociedade  e  da  Igreja,  e  é confortador ver amadurecer no meio deles numerosas e significativas experiências de espiritualidade, de serviço e de partilha.

2. A vossa missão liga-se espiritualmente à Jornada Mundial da Juventude de 2000 quando, em Tor Vergata, pude definir os jovens como "sentinelas da manhã naquele alvorecer do novo milénio" (Homilia na Vigília, n. 6). Estou feliz por ver que aquelas palavras não cessam de fazer vibrar o vosso coração, como também o coração de muitos rapazes e moças, estimulando as suas mentes para a acção.

A expressão "Missão dos jovens para os jovens" faz eco da expressão usada pelo Concílio Vaticano II. Os jovens "devem tornar-se escreveram os Padres conciliares os primeiros e imediatos apóstolos dos jovens, exercendo pessoalmente o apostolado entre si, tendo conta do ambiente social em que vivem" (Decreto Apostolicam actuositatem, 12). Este convite foi renovado pelo meu venerável Predecessor, o Papa Paulo VI que, na Exortação Apostólica Evangelii nuntiandi, observava:  "É necessário que os jovens, bem formados na fé e na oração, se tornem cada vez mais os apóstolos da juventude. A Igreja conta muito com a sua contribuição" (n. 72).

3. Bem formados na fé e na oração. Caros jovens, é preciso reflectir com atenção sobre esta exigência. O bom êxito da missão dependerá da qualidade dos missionários:  quanto mais dóceis fordes como instrumentos nas mãos de Deus, mais o vosso testemunho será eficaz. Preparai-vos com empenhamento, para serdes "fermento", "sal" e "luz" no meio dos vossos coetâneos e nos ambientes em que viveis.

3. A santidade surpreende, faz reflectir, convence e, se Deus quiser, converte. A santidade dos jovens constitui um dos dons mais bonitos que o Senhor concede à Igreja. Cada um de vós é chamado a ser santo, ou seja, a seguir Jesus com todo o coração, com toda a alma e com todas as forças. Sirva-vos de guia e de modelo neste caminho a Virgem Maria que, também Ela jovem como vós, respondeu ao Anjo:  Eis-me, sou a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra (cf. Lc 1, 38), e sempre cumpriu fielmente a vontade de Deus. Caríssimos, aprendei dela a ser humildes e dóceis, prontos a dar-vos a vós  mesmos  para  que,  também  em vós, o Senhor possa realizar "grandes coisas".

4. A propósito do estilo da missão, permiti-me agora que vos repita uma palavra tirada da primeira Carta do Apóstolo Pedro, onde se faz esta observação:  "Venerai Cristo Senhor nos vossos corações e estai sempre prontos a responder, para vossa defesa, com doçura e respeito, a todo aquele que vos perguntar a razão da vossa esperança. Tende uma consciência recta a fim de que, mesmo naquilo em que dizem mal de vós, sejam confundidos os que caluniam a vossa boa conduta em Cristo" (1 Pd 3, 15-16).

Jovens de Trani-Barletta-Bisceglie, Cristo é "a esperança que está em vós"! Seja Ele a iluminar as vossas jovens consciências! Estai sempre prontos a responder a todo aquele que vos perguntar a razão da sua verdade e do seu amor. Sede testemunhas convictas e mensageiros da verdade, pois ela persuade, por si só, aqueles que se lhe abrem. O vosso "cartão de visita" seja o amor recíproco:  "É por isso que todos saberão que sois meus discípulos disse Jesus se vos amardes uns aos outros" (Jo 13, 35). E o amor encher-vos-á de uma alegria íntima e intensa; da alegria unida à paz do coração, que somente Jesus sabe dar aos seus amigos.

E transmiti aos vossos coetâneos a alegria de O seguir. Quem encontra Jesus, experimenta uma forma diversa de ser feliz, uma nova alegria de viver, fundamentadas não no ter ou no parecer,  mas  no  ser.  Ser  jovem  cristão significa viver com Jesus, por Jesus e em Jesus.

5. Agora, voltando a reflectir sobre o tema da vossa missão, pergunto-vos:  desejais vós, caríssimos jovens da Arquidiocese de Trani-Barletta-Bisceglie, ser sentinelas de esperança?

Com esta fé e com esta coragem, ide e o Senhor esteja convosco! Maria, Estrela da Nova Evangelização, vele sempre sobre os vossos passos. Também eu vos acompanho com o afecto, a oração e a minha Bênção.

 

 

top