The Holy See
back up
Search
riga

 DISCURSO  DO PAPA JOÃO PAULO II
AOS PEREGRINOS VINDOS PARA
A CANONIZAÇÃO DE DOM LUÍS ORIONE
 E ACTO DE CONSAGRAÇÃO A NOSSA SENHORA

15 de Maio de 2004

 

1. É com grande alegria que me encontro convosco esta tarde, caríssimos Irmãos e Irmãs, que representais toda a família do Beato Luís Orione.

Saúdo os Senhores Cardeais, os Bispos, as autoridades e quantos quiseram estar presentes nesta festa. Dirijo um pensamento especial ao Director-Geral do Instituto, Pe. Roberto Simionato, que desejou fazer-se intérprete dos sentimentos de cada um de vós.

Além disso, saúdo os vários componentes da Família de Dom Orione:  Filhos da Providência Divina, Pequenas Irmãs da Caridade, leigos consagrados e associados ao Movimento Laical de Dom Orione, devotos e peregrinos provenientes da Europa, da África, da Ásia e das Américas.
Dirijo uma saudação especial aos jovens e aos numerosos portadores de deficiência, aqui presentes, que me oferecem a ocasião para abraçar idealmente todos  os  hóspedes  das  vossas  casas, que Dom Orione considerava como seus "tesouros" e suas "pérolas" preciosas. Saúdo de bom grado também a Rai (Rádiotelevisão italiana), que oferece a muitos italianos espalhados pelo mundo a possibilidade de participarem nesta manifestação.

2. Foi com grande surpresa que acabei de escutar a voz de Dom Orione! Quantos corações esta voz consolou, quantas pessoas aconselhou! Ela indicou a todos o caminho do bem.
Humilde e audacioso, em toda a sua vida ele esteve sempre pronto a debruçar-se sobre as necessidades dos pobres, a tal ponto que chegou a ser honrado com o epíteto de "carregador da Providência Divina".

O seu testemunho permanece de grande actualidade. O mundo, demasiadas vezes dominado pela indiferença e pela violência, tem necessidade de pessoas que, como ele, "cumulem de amor os sulcos da terra, repletos de egoísmo e de ódio" (Escritos, 62, 99). São necessários bons Samaritanos que estejam prontos a responder ao "brado angustiante  de  muitos  dos  nossos  irmãos que sofrem e aspiram a Cristo" (Ibid., 80, 170).

3. Estimados Irmãos e Irmãs, Dom Orione intuiu com clareza que a primeira obra de justiça consiste em dar Cristo aos povos, porque "é a caridade que a todos edifica, a todos unifica em Cristo e na sua Igreja" (Ibid., 61, 153).

Eis o segredo da santidade, mas também da paz, a que aspiramos ardentemente para as famílias e para os povos. Dom Orione interceda de maneira particular pela paz na Terra Santa, no Iraque e nas outras regiões do mundo, atingidas por guerras e conflitos sanguinolentos.

Agora, dirijamo-nos a Nossa Senhora, de quem o vosso Fundador foi sempre um grande devoto, a fim de que continue a salvaguardar a Pequena Obra da Providência Divina, chamada a anunciar e a dar testemunho do Evangelho aos homens do terceiro milénio.

Concedo a todos a minha Bênção!

Saudação especial

Gostaria de recordar aqui ainda um filho espiritual de Dom Orione, que conheci na Polónia... era Mons. Bronislaw Dabrowski, Secretário-Geral do Episcopado Polaco. Recordo-me dele sempre com grande simpatia e reconhecimento, porque ele nos ensinou, naquela época difícil, que é necessário ser corajoso, humilde e forte. Que a sua alma descanse em paz!
Uma vez mais, obrigado a todos vós!

***

Acto de Consagração
a Nossa Senhora

1. Maria, Mãe de Cristo
e da Igreja,
enquanto contemplamos
ao teu lado na glória
Luís Orione, pai dos pobres
e benfeitor da humanidade
dolorosa e abandonada,
consagramos-te a Pequena
Obra da Providência Divina,
que é tua obra desde o início.

Dá aos teus pequenos filhos
e filhas, ó Mãe,
aquela inesgotável
capacidade de amar,
que brota do Coração
trespassado
do Crucificado.

Dá-lhes fome e sede
de caridade apostólica
segundo o exemplo
do Fundador,
que suspirava:  Almas, almas!

2. Recorda-te, ó Virgem Santa,
da humilde
Família religiosa que,
depois de uma oração
intensa e prolongada
diante da tua venerada
Imagem,
Dom Orione entregou à Igreja.

Tu quiseste valer-te
da Pequena Obra, chamando
os seus filhos e as suas filhas
ao altíssimo privilégio
de servir Cristo nos pobres.
Desejaste que fossem animados
por uma caridade ardente,
confiantes na Providência
Divina.

Nunca se extinga
o seu fogo sagrado
do amor a Deus e ao próximo.

3. Incute-lhes amor devoto
ao Sucessor de Pedro,
obediência primorosa
aos Bispos,
disponibilidade generosa
no serviço
à comunidade cristã.

Faz com que sejam sensíveis
às necessidades do próximo,
atentos e amorosos aos irmãos
mais pobres e abandonados,
aos excluídos e a quantos
são considerados
como um refugo da sociedade.

Faz com que as filhas
e os filhos
de Dom Orione,
sustentados por um ardor
ilimitado por Cristo,
saibam acolher
com misericórdia inesgotável
todas as formas
de miséria humana,
manifestando
amor e compaixão
por todos.

4. Dá, ó Maria,
à Família de Dom Orione
um coração
nobre e magnânimo,
que saiba aliviar todas as dores
e enxugar cada lágrima.

Derrama as tuas graças
copiosas
sobre quantos,
com confiança recorrem a ti
em todas as necessidades.

A vida da Pequena Obra
da Providência Divina,
seja consagrada para dar
Cristo ao povo
e o povo a Cristo.

 

© Copyright 2004 - Libreria Editrice Vaticana

 

 

top