The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
ÀS IRMÃS CARMELITAS
MISSIONÁRIAS TERESIANAS

Terça-feira, 9 de Novembro de 2004

 

Às Irmãs Carmelitas
Missionárias Teresianas
participantes no XIII CapítuloGeral

1. É com imenso prazer que tenho este encontro convosco, que estais a celebrar o XIII Capítulo Geral, neste momento tão importante para a vida da Congregação, a fim de discernir a vontade de Deus, reavivar a fidelidade ao carisma fundador e procurar a melhor forma para responder, partindo da própria vocação e missão, aos desafios destes primeiros anos do terceiro milénio.

Saúdo com afecto a Irmã Luísa Ortega Sánchez, recém-eleita Superiora-Geral, as suas Conselheiras e demais colaboradoras, assim como todas as participantes no Capítulo. Expresso a minha sincera gratidão à Irmã Pilar Timoneda Armengol, Superiora-Geral durante os dois mandatos precedentes e convido-a a transmitir às comunidades dos diversos países, juntamente com as decisões tomadas, a própria experiência capitular, com a sua profundidade espiritual, sentido de fraternidade e anseio por viver plena e alegremente o carisma inspirado pelo Fundador, o Beato Francisco Palau i Quer.

Como diz o lema capitular, trata-se de estimular em todas as vossas Irmãs uma verdadeira "paixão pela Igreja: Deus e o próximo", para que cada comunidade enriqueça a própria Igreja particular e torne visíveis as maravilhas de Deus "com a linguagem eloquente de uma existência transfigurada, capaz de suscitar a admiração do mundo" (Vita consecrata, 20).

2. No programa de vida e de acção para os próximos anos, deve ser recordado que, "a Missão, antes de ser caracterizada pelas obras externas, define-se pelo tornar presente o próprio Cristo no mundo, através do testemunho pessoal. Este é o desafio, a tarefa primária da vida consagrada!" (ibid., 72). Onde nos podemos inspirar para tornar presente Cristo, a não ser no grande Mistério no qual Cristo está "realmente" presente, como a Eucaristia? Todos os aspectos da Eucaristia "confluem para o que dá mais provas da nossa fé: o mistério da presença "real"" (Mane nobiscum Domine, 16).

Recordei a toda a Igreja o carácter central e insubstituível da Eucaristia para a vida cristã, para ser fiéis à vocação à santidade. Agora recordo isto também a vós, certo de que, pela vossa tradição contemplativa teresiana, o compreendereis muito bem e colocareis o Santíssimo Sacramento como eixo da vida espiritual e inspirador de qualquer projecto apostólico e missionário. De facto, nele encontramos Cristo e, por conseguinte, é ponto de encontro privilegiado para as almas apaixonadas por Ele (cf. ibid., 18).

3. Peço a Nossa Senhora do Monte Carmelo, por intercessão do vosso Beato Fundador, que não deixeis de mostrar quotidianamente "a todos os crentes os bens do céu, já presentes neste mundo" (Lumen gentium, 44), e que aumentem nas novas gerações o número daqueles que reconhecem a voz do Espírito quando os chama para uma vida totalmente consagrada a Deus.

Com estes votos, concedo-vos de coração a Bênção Apostólica, que faço extensiva a todas as Carmelitas Missionárias Teresianas.

 

 

top