The Holy See
back up
Search
riga

DISCURSO DO PAPA JOÃO PAULO II
AOS PARTICIPANTES NA ASSEMBLEIA PLENÁRIA
DO PONTIFÍCIO CONSELHO PARA OS LEIGOS

25 de Novembro 2004

 

Senhores Cardeais
Venerados Irmãos no Episcopado
e no Sacerdócio
Caríssimos Irmãos e Irmãs
!


1. É com alegria que vos recebo por ocasião da Assembleia Plenária do Pontifício Conselho para os Leigos. Saúdo com viva cordialidade o Presidente, D. Stanislaw Rylko, e estou-lhe grato pelas palavras que me dirigiu em vosso nome. Saúdo os Membros e os Consultores, os Oficiais e o Pessoal deste Conselho, que desempenha com diligência a sua missão finalizada a revigorar nos baptizados, mediante numerosas iniciativas, a consciência da própria identidade e vocação cristãs.

2. Penso, por exemplo, no Encontro dos católicos da Europa do Leste, organizado no ano passado em Kiev, na Ucrânia, que realçou o papel desempenhado pelos fiéis leigos na reconstrução espiritual e material daquelas Nações depois de longos anos de totalitarismo ateu.

Conheço também a solicitude do vosso Pontifício Conselho pela "nova época agregativa" dos leigos, que se caracteriza por uma colaboração mais estreita entre as diversas associações, comunidades e movimentos. Instrumento precioso é, a este respeito, o "Repertório das associações internacionais de fiéis".

Estou também informado dos primeiros passos dados pela Secção "Igreja e desporto", instituída recentemente, assim como dos confortadores frutos do Foro internacional dos jovens sobre a pastoral universitária.

Além disso, não posso deixar de mencionar a intensa preparação para a Jornada Mundial da Juventude, que se celebrará em Colónia, na Alemanha, em Agosto de 2005. Este encontro, que tem como tema: "Viemos adorá-l'O" (Mt 2, 2) solicita toda a Igreja, e sobretudo os jovens, a porem-se a caminho como os Magos para encontrar o Deus feito Homem para a nossa salvação.

3. Tendo-se concluído o ciclo das Assembleias dedicadas aos sacramentos da iniciação cristã, com esta Plenária iniciais a reflectir sobre a paróquia, tema que vos comprometerá nos próximos anos.

A primeira etapa, como emerge da agenda dos trabalhos, consiste em ajudar os fiéis leigos a redescobrir o verdadeiro rosto da paróquia, "expressão mais imediata e visível" da Igreja que "vive no meio das casas dos seus filhos e filhas" (Christifideles laici, 26). A paróquia é a célula vital na qual a participação dos leigos tem a sua natural colocação na edificação e na missão da Igreja no mundo. É presença que chama constantemente cada homem a confrontar-se com o sentido último da vida; é porta aberta a todos, para que todos possam ter acesso ao caminho da salvação. Numa palavra, a paróquia é o lugar por excelência do anúncio de Cristo e da educação na fé.

Precisamente por isto, precisa de renovar-se constantemente para se tornar verdadeira "comunidade de comunidades", capaz de uma acção missionária verdadeiramente incisiva.

4. Por fim, neste ano dedicado à Eucaristia, como não recordar que a Eucaristia é o coração palpitante da paróquia, fonte da sua missão e presença que continuamente a renova? De facto, a paróquia é "comunidade de baptizados que expressam a sua identidade sobretudo através da celebração do Sacrifício eucarístico" (Ecclesia de Eucharistia, 32).

Caríssimos Irmãos e Irmãs! Faço sentidos votos por que a reflexão acerca da paróquia, iniciada pelo Pontifício Conselho para os Leigos com esta reunião, ajude todos a compreender ainda mais que a comunidade paroquial é lugar de encontro com Cristo e com os irmãos. Acompanho-vos com a oração, enquanto vos confio a vós e aos vossos entes queridos à materna protecção de Maria, Mãe de Deus e Mãe da Igreja.

Com estes sentimentos, abençoo-vos a todos.

 

top