The Holy See Search
back
riga

Júlia Salzano (1846-1929) 

foto

  

Júlia Salzano nasceu em Santa Maria Capua Vetere, na provincia de Caserta, dia 13 de outubro de 1846, tendo como pai Diego, capitão dos lanceiros de Fernando II, Rei de Nápoles, e como mãe Adelaide Valentino.

Orfã de pai aos quatro anos, foi confiada para a sua formação às Irmãs da Caridade no Orfanato real de S. Nicolau “La Strada”, onde permaneceu até aos quinze anos de idade. Tendo conseguido o diploma de magistério, recebeu o encargo de ensinar na Escola Municipal de Casória, na província de Nápoles, onde se transferiu com a família no mês de outubro de 1865.

Junto ao ensino, manifestou um notável interesse pelo catecismo para educar na fé as crianças, os jovens e os adultos, cultivando, ao mesmo tempo, a devoção à Virgem Maria.

Propagou, junto com a beata Catarina Volpicelli, o amor e o culto ao Sagrado Coração, vivendo o lema: “Ad maiorem Corais Iesu gloriam

Pela sua constante preocupação de fazer passar através do ensino e do testemunho a doutrina e a vida de Jesus Cristo, em 1905 fundou a Congregação das Irmãs Catequistas do Sagrado Coração.

Consumou a vida no carisma da catequese e, por isso, afirmava: “Ensinarei sempre o Catecismo, até o meu último sopro de vida. E vos asseguro que morreria contentíssima lecionando o Catecismo”.

Exortava também às suas filhas: “Em qualquer hora, a irmã catequista deve-se sentir disposta a instruir os pequeninos e os ignorantes; não deve medir os sacrifícios requeridos por este ministério, antes, deveria desejar morrer no cumprimento do próprio dever, se assim fosse do agrado de Deus”.

Um outro Beato, Ludovico de Casória, lhe predisse quase profeticamente: “Cuida de não cair na tentação de abandonar as crianças da nossa querida Casória, porque a vontade de Deus é que vivas e morras entre elas”. E assim foi.

Faleceu dia 17 de maio de 1929.

“Dona Julieta”, como era chamada pelos cidadãos de Casória, morreu em fama de santidade, tanto é que dia 29 de janeiro de 1937 foi iniciado o seu Processo de Beatificação e Canonização. Dia 25 de janeiro de 1994 foi entregue a Positio, um volumoso “dossier” sobre vida, virtudes e fama de santidade, na Congregação para as Causas dos Santos e, dia 23 de abril de 2002, João Paulo II dispôs que fosse publicado o Decreto, com o qual eram reconhecidas a heroicidade das virtudes, atribuindo o título de Venerável à Serva de Deus.

Dia 20 de dezembro daquele mesmo ano, o Papa assinava o Decreto, com o qual era reconhecido o milagre atribuído à intercessão de Julia Salzano.

Pelo seu carisma ela é designada como Mulher Profeta da Nova Evangelização.

 

 

 

top