The Holy See
back up
Search
riga

 

Pontifício Conselho Cor Unum, instrumento da caridade do Papa em 2003

 

Gestos concretos de solidariedade para

testemunhar o amor de Deus pela humanidade

 

Fiéis, paróquias e instituições religiosas  entregaram ao Papa os seus gestos de amor  para com os irmãos mais provados no espírito e no corpo em consequência de calamidades,  pobreza,  doença e  subdesenvolvimento: um total de 1.680.000  dólares  para  os  socorros  de  urgência  e  para  a  promoção  humana  em  várias partes  do  mundo;   1.843.000   dólares  para  a  sustentação  de  projectos  de  promoção  humana  das  comunidades  indígenas  camponesas  pobres  da  América Latina;  e  2.474.000    euros  para  a  luta  contra  a   estiagem  e  a  desertificação  no Sahel. 

             «Quem receber um menino como este, em meu nome, é a mim que recebe» (Mt 18, 5) é o “lema-guia” da Mensagem que o Santo Padre dirigiu a todos os fiéis e a todos os homens de boa vontade, por ocasião da Quaresma, que encontra o seu ápice precisamente nestes dias da Semana Santa. O Papa escreveu também: «Penso com reconhecida admiração em quantos cuidam da formação da infância em dificuldade e aliviam os sofrimentos das crianças e dos seus familiares, causados pelos conflitos e a violência, pela falta de alimento e de água, pela emigração forçada e por tantas formas de injustiça existentes no mundo» (n. 3).

             Desde as primeiras informações que chegaram ao Cor Unum , revelou-se que a Mensagem papal foi amplamente difundida e suscitou iniciativas especiais, que ainda estão em curso, a favor da infância e dos mais fracos. Neste campo, a caridade organizada reveste um papel muito importante, que contribui para a  formulação e o apoio de projectos concretos, os quais são realizados graças às ofertas de muitos benfeitores. Estas ofertas, contudo, não constituem uma simples delegação de responsabilidades pessoais; na realidade, elas subentendem uma participação activa nos vários programas. Por exemplo, assim é o caso dos fiéis que quiseram aderir e estão aderindo ao Projecto de construção do “Nyumbani Village” destinado às crianças órfãs de pais mortos pela SIDA, em Nairóbi (Quénia), ilustrado no momento da apresentação da Mensagem quaresmal do Santo Padre, em 29 de Janeiro deste ano. São várias ofertas, que dadas as motivações, deixam transparecer a vontade de participar, testemunhando o amor.

              Aconteceu o mesmo em relação aos dons espontâneos que os fiés, as comunidades paroquiais e diocesanas e os intitutos religiosos quiseram entregar ao Papa, durante o ano de 2003, a fim de que pudessem  tornar-se intérpretes da solicitude da Igreja Universal para com os mais necessitados. Hoje, nestas páginas, tentar-se-á oferecer um quadro sintético do que o Santo Padre, através do Pontifício Conselho Cor Unum, pôde realizar concretamente no ano passado, para sustentar a obra daqueles que trabalham junto e a favor dos mais provados pelos sofrimentos do corpo e do espírito em consequência de calamidades naturais ou provocadas pelo homem e por causa da miséria.

EMERGÊNCIAS

TIPO DE CALAMIDADES

AJUDA EM DÓLARES PAÍSES 
TERREMOTOS

162.000

ARGÉLIA, EL SALVADOR, IRÃO, TURQUIA, UGANDA
INUNDAÇÕES 243.000 ARGENTINA, BOLÍVIA, FIJI, GUATEMALA, SRI LANKA,  VIETNAME
GUERRAS 241.473 IRAQUE, LIBÉRIA, NIGÉRIA, REP. DEMOCRÁTICA DO CONGO
ESTIAGEM E CARESTIAS 59.304 ERITREIA, ETIÓPIA, MOLDOVA
REFUGIADOS E MIGRANTES 91.688 ALGÉLIA, ANGOLA, HAITI, REP. CENTRO-AFRICANA, UGANDA 
HIV/SIDA 25.000 MALAVI, ROMÉNIA
TOTAL US$ 822.465 23 PAÍSES

             Em alguns casos particulares, o Santo Padre quis mandar in loco, como seu Enviado Especial, o Arcebispo Paul Josef Cordes, Presidente do Cor Unum, para que manifestasse a aproximação espiritual da Igreja Universal e da Sé Apostólica às populações atingidas e para encorajar quantos estavam empenhados na obra de socorro. Desse modo, foram realizadas as duas Missões conduzidas por D. Cordes no Vietname (14-20 de Janeiro), atingido por inundações, e no Iraque (28 de Maio – 3 de Junho), logo após a declaração oficial do fim da guerra. Nestes dois países, o Enviado Especial pôde encontrar os Bispos, as autoridades civis, algumas comunidades particularmente atingidas pelas calamidades e os representantes das organizações empenhadas nos socorros às populações. D. Cordes pôde  levar também um primeiro contributo àquelas Igrejas locais com a finalidade de  apoiar a sua acção a favor dos mais necessitados.

 ***0***.

             Graças  à  espontânea  generosidade dos  fiéis,  Cor Unum,   por  incumbência do  Santo  Padre,  pôde  ajudar  muitas comunidades  de  países  em  vias  de desenvolvimento  de  modo  a  favorecer o  seu  crescimento  moral  e  material. Outras  ajudas  foram  distribuídas  para instituições  eclesiais  que  se  ocupam da  assistência  das  crianças  de  rua, dos  idosos  abandonados,  dos  semcasa:

PROMOÇÃO HUMANA E COMUNITÁRIA

SECTORES AJUDA DISTRIBUÍDA EM DÓLARES PAÍSES 
SOCIAL E SAÚDE 93.260 Brasil, Índia, Israel, UcrÂnIa, ViEtNAME
CRIANÇAS 205.384 Brasil, CHile, Gana, Índia, MongÓlia, RepÚblica CentrO-africana, TaGIQUISTÃO, UcrÂnIa, Uganda, ViEtnamE
FORMAÇÃO PROFISSIONAL  103.200 Bielo-rÚssia, Brasil, ColÔmbia, Índia, MoÇambiQUE, NigÉria, Rep. DemocrÁtica dO Congo, RUanda, SudÃO
AGRICULTURA ALIMENTAÇÃO 86.364 NIGÉRIA, PERU, rEP. DEMOCRÁtICA DEL CONGO, RUANDA, TANZÂNIA, UGANDA
RECONSTRUÇÃO E RESTRUTURAÇÃO DE CASAS 152.840 Angola, CamArÕES, CroÁCia, EtiÓpia, Haiti, Índia, JerusalÉm, LÍbia, LituÂnIa, QUÉnIa, RomÉnia
SÓCIO-PASTORAL 188.175 El Salvador, FinlÂndia, Gana, JerusalÉm, MongÓlia, NicarÁgua, Rep. DemocrÁtica dO Congo, ViEtnamE
MULHERES 14.000 aNGOLA, CamArÕES
IDOSOS 15.000 uGANDA
TOTAL US$ 858.223 33 PAÍSES

***0***

             No âmbito do Cor Unum trabalham duas Fundações.

             A primeira é a Fundação João Paulo II para o Sahel. Instituída em 1984, como resposta ao urgente apelo lançado pelo Santo Padre no dia 10 de Maio de 1980, de Uagadugu, a favor das populações  atormentadas pela estiagem e pela desertificação na região saheliana. Esta Fundação, nos seus primeiros vinte anos de vida, graças ao generoso e constante contributo da Conferência Episcopal Italiana, de cada fiel e instituição eclesial, pôde financiar mais de 3.500 projectos comunitários como ajuda à luta contra a estiagem e a desertificação, num total de mais de 30.000.000 de dólares americanos. No ano de 2003, o número dos projectos financiados subiu para 235, num total de mais de 2.474.00,00 de euros, distribuídos de acordo com a seguinte tabela:

FUNDAÇÃO JOÃO PAULO II PARA O SAHEL

PAÍSES NÚMERO DE PROJECTOS APROVADOS QUANTIA DISTRIBUÍDA EM EUROS
BURKINA FASSO 119 953.507
CABO VERDE 7 165.360
CHADE 36 390.660
GÂMBIA 11 163.791
GUINÉ-BISSAU 2 91.376
MALI 13 178.292
MAURITÂNIA 3 27.074
NÍGER 11 100.119
SENEGAL 33 404.126
TOTAL 235 EUROS 2.474.307

            Dos projectos aprovados 12,76%  diz respeito ao ambiente; 21,70% ao sector hídrico;  9,36% concerne à agricultura; 8,94% à criação de animais; 24,25% à formação dos líderes  comunitários; 10,12% à autopromoção comunitária; 8,94% ao sector da assistência à saúde; 2,98% à formação técnico-profissional; e 0,85% pertence às demais categorias de projectos.

             A segunda é a Fundação Populorum Progressio, a serviço  das populações indígenas, mestiças e afro-americanas camponesas pobres da América Latina. Foi criada pelo Papa em 1992, por ocasião do V Centenário do Início da Evangelização na América Latina, e propõe-se sustentar microprojectos de promoção humana integral. É mantida especialmente pela Conferência Episcopal Italiana, através do Comité para as Intervenções Caritativas a favor do Terceiro Mundo, por fiéis e por instituições religiosas; a Fundação, nestes seus primeiros doze anos de vida, financiou mais de 1500 microprojectos, num total de mais de 15.000.000 de dólares americanos. Na sua sessão de 2003, o Conselho de Administração reunido em Guadalajara (México), 8-11 de Julho, deliberou o financiamento de 221 projectos, num total de 1.843.200 de dólares, distribuídos nos países de acordo com a seguinte tabela:

FUNDAÇÃO Populorum Progressio

PAÍSES NÚMERO DE PROJECTOS APROVADOS QUANTIA DISTRIBUÍDA EM DÓLARES
ANTIGUA 2 20.000
ARGENTINA 3 23.000
BOLÍVIA 13 102.700
BRASIL 24 200.300
CHILE 9 69.500
COLÔMBIA 32 270.500
COSTA RICA 6 49.500
CUBA 2 19.000
EQUADOR 19 162.000
EL SALVADOR 9 78.500
GUATEMALA 8 69.500
HAITI 11 107.600
HONDURAS 2 18.000
MÉXICO 18 134.500
NICARÁGUA 11 77.500
PANAMÁ 5 44.000
PARAGUAI 8 66.000
PERU 29 246.500
REPÚBLICA DOMINICANA 6 49.800
URUGUAI 2 17.000
VENEZUELA 2 17.800
TOTAL 221 US$ 1.843.200

            Os 221 projectos aprovados são dirigidos à promoção integral das comunidades indígenas camponesas pobres dos países da América Latina:  36,29% destinados ao sector da produção (agropecuária, microempresarial, comércio comunitário); 23,55%  concerne ao campo das infra-estruturas municipais (água potável, fortificações, esgotos e salas polivalentes); 18,15% diz respeito ao âmbito das edificações (escolas, casas, centros de saúde); 16,60% recai na área da educação (formação profissional, comunicações, móveis e publicações); e 5,49% insere-se no quadro da assistência à saúde comunitária (formação e  fornecimento de instrumentos médicos).

 ***0***

            Com estas actividades o Cor Unum constitui um instrumento de testemunho concreto do amor de Cristo pelos pobres. Esta predilecção do Senhor pelos pequenos e necessitados manifesta-se também através das numerosas Organizações católicas das Igrejas particulares empenhadas na ajuda de urgência e no apoio à promoção humana integral dos mais necessitados. Basta pensar no enorme trabalho desenvolvido pelas várias Caritas, pela Ajuda à Igreja que Sofre, pelas várias Obras quaresmais, Congregações religiosas, Associações laicais e Organismos de voluntariado. Os seus agentes não desenvolvem o seu serviço como simples delegados da comunidade, mas como verdadeiros e próprios canais através dos quais se difundem a participação e a partilha activa dos benfeitores no testemunho concreto da Caridade de Cristo que, «tornando-se “obediente até à morte e morte de cruz” (Fl 2, 8), assumiu sobre Ele o sofrimento humano, iluminando-o com a luz esplendorosa da ressurreição» (Mensagem quaresmal 2004, n. 4).

 

Guido Giannini

 

top